Acreditação hospitalar também é um desafio para você?

As instituições de saúde existem, na sua essência, para cuidar de pessoas, portanto devem prezar pela segurança dos seus pacientes. As acreditações hospitalares, importantes neste processo, apesar de muito conhecidas, ainda despertam algumas dúvidas.
O que é Acreditação Hospitalar?
A acreditação hospitalar é um sistema opcional cujo objetivo é a avaliação e certificação da qualidade dos serviços de saúde. Este processo tem também um caráter educativo, voltado para a melhoria contínua da instituição.
Após o período de avaliação, a instituição avaliada recebe uma chancela da acreditadora, um reconhecimento formal expondo que essa atende os requisitos necessários e demonstra capacidade para realizar as atividades com mais segurança.
Qual o objetivo da acreditação?
Com finalidade de estimular o desenvolvimento de um processo permanente de avaliação e certificação de qualidade dos serviços de saúde, a acreditação potencializa a melhoria contínua da atenção e de práticas de qualidade na assistência à saúde dos pacientes.
Qual a importância da minha instituição ser acreditada?
Os órgãos acreditadores são reconhecidos por qualificar processos que garantam qualidade, ética e resultados prestados aos pacientes. Tais processos trazem como principais benefícios:
– Maior segurança para os pacientes e profissionais;
– Melhoria na qualidade da assistência;
– Promoção do trabalho em equipe;
– Monitoramento dos processos e resultados;
– Melhora do desempenho institucional;
– Identificação de riscos;
– Visibilidade no setor, oferecendo vantagem competitiva às instituições acreditadas;
Cabe ressaltar que o processo de acreditação estimula uma capacitação constante dos colaboradores, priorizando sempre o máximo de segurança ao paciente. O selo também fortalece a confiança dos pacientes e da própria equipe no que concerne a qualidade e segurança de seus serviços prestados.
Quais são as principais acreditadoras?

  • IQG, que representa a Acreditação internacional Canadense (Qmentum), é a maior acreditadora na área da saúde na América Latina e atualmente conta com mais de 700 clientes. Apoiam a capacitação e instrumentalização das Instituições para a transformação na busca constante da excelência por meio da gestão, adaptando-as à nova realidade.
  • A Acreditação internacional mais antiga, é a Joint Commission International (JCI), representada no Brasil pelo Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), também considerada a maior do mundo.
  • A Organização Nacional de Acreditação (ONA) é a que tem a maior representatividade em território nacional, a qual possui três níveis: Acreditação Ona Nível 1 — Acreditado: princípio segurança; Acreditação Ona Nível 2 — Acreditado Pleno: princípio gestão; Acreditação Ona Nível 3 — Acreditado com Excelência: princípio excelência em gestão.
  • Acreditação Nacional Integrada para Organizações de Saúde (Niaho): normatiza questões relacionadas à segurança assistencial, patrimonial e gestão do corpo clínico.
  • Healthcare Information and Management Systems Society (HIMSS), cujo objetivo principal é otimizar a prestação de assistência à saúde por meio da tecnologia da informação.
  • Há também, a ACSA, representada no Brasil pelo IBES. Trata-se do modelo de Acreditação europeu, que tem como objetivo a melhoria contínua da qualidade do serviço de saúde.

 
Como o Medportal pode auxiliar na acreditação da sua instituição?
O Medportal desenvolve plataformas digitais educacionais e conteúdo educacional para que hospitais qualifiquem e avaliem suas equipes. Estas plataformas são personalizadas para cada cliente, de modo que o hospital passa a ter um ambiente com a sua marca e cultura. Somos focados no setor saúde, o que cria todo um ecossistema que se retroalimenta, motivo pelo qual hospitais e instituições de saúde sempre preferem trabalhar conosco. Além do nosso conteúdo que dispomos aos clientes, as instituições que optam por produzir o próprio conteúdo podem embarcar o mesmo na nossa plataforma, a utilizando para gerenciar todos os treinamentos online/offline da instituição, para avaliar online os colaboradores e obter todas as métricas necessárias com avançados relatórios.
O treinamento online tem sido um grande aliado nos processos de acreditação, conforme temos comprovado com centenas de instituições que usam nossas soluções. A plataforma do Medportal oferece mais flexibilidade e efetividade a todo este processo, viabilizando que os colaboradores estejam sempre capacitados e atualizados e permitindo, em última análise, que os pacientes sejam melhor atendidos!
Alguns dos benefícios que o Medportal oferece:
Conteúdo exclusivo e de extrema qualidade, que pode ser utilizado como apoio ao conteúdo criado pela própria instituição (o que facilita a implementação do projeto para que ocorra de forma muito mais rápida e econômica).
Disponibilização de conteúdos online, na qual os profissionais de saúde podem assistir as aulas, cursos, protocolos e seguir trilhas de conhecimento quantas vezes for necessário, além de dispensar o deslocamento de todo corpo clínico para um auditório.
Avaliações que permitem averiguar continuamente quais os profissionais mais capacitados e quais precisam de novos treinamentos, de forma totalmente assertiva, customizável e escalável.
Relatórios completos, que viabilizam que todos os indicadores sejam acompanhados pelos gestores e pessoas envolvidas no processo de capacitação, garantindo maior governança, capilaridade, segurança e transparência do processo.
Acreditamos que profissionais capacitados podem transformar a realidade da saúde no país.
Vamos revolucionar a capacitação da sua instituição?

Café da Manhã Anahp discute educação a distância

De que forma a tecnologia, tão presente no nosso dia a dia, pode melhorar a qualidade da educação e do treinamento de pessoal nos hospitais? Essa é a pergunta que norteou o Café da Manhã Anahp, realizado nesta terça-feira (10) na sede da Associação em parceria com a Medportal. O objetivo, ao reunir especialistas do setor, foi o de descobrir vantagens e impactos da educação via plataformas digitais para o setor saúde.
O Instituto PEnSI, braço de ensino e pesquisa em saúde da Fundação José Luiz Egydio Setúbal, que administra o Hospital Infantil Sabará (SP), investe atualmente em uma plataforma de ensino a distância, e EaD PEnSI, voltada tanto para o público interno (treinamentos, como parte da estratégia de educação continuada) como o externo (cursos). Mais de 30 mil pessoas já fizeram treinamentos na plataforma. Há conteúdos pagos e gratuitos.
A plataforma também está sendo usado no projeto de telemedicina da fundação com o Ministério da Saúde em oito municípios do estado do Amazonas, dentro do Pronon – Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica. O objetivo é capacitar agentes comunitários do Programa de Saúde da Família (PSF) para o diagnóstico precoce de câncer em crianças e adolescentes, aumentando a chance de cura. O projeto pretende capacitar ao menos 90% dos agentes e 75% dos médicos, atendendo cerca de 460 mil pessoas.
“Estamos animados com todos esses projetos. Esperamos crescer e melhorar cada vez mais nossos indicadores”, ponderou Fátima Fernandes, Diretora Executiva do Instituto PEnSI.
Para o iMed Group Brasil, especializado na prestação de serviços médicos, as plataformas digitais são parte de uma estratégia de treinamento mais ampla cujo objetivo é bastante claro: melhorar o desempenho e a motivação dos profissionais, e assim também resultados e o retorno sobre investimentos feitos.
Segundo Alexandre Ísola, Gerente do Departamento de Educação Continuada da companhia, “a tecnologia vem para ajudar”. O Portal de EAD do iMed Group Brasil aposta em trilhas de conhecimento, com conteúdos exclusivos para colaboradores e outros abertos ao público. Há ainda espaço para debate com os professores e entre os alunos de cada trilha.
Os treinamentos têm sido usados, com sucesso, para a melhoria dos índices de satisfação dos pacientes, medida através do Net Promoter Score (NPS).
Também participaram do Café da Manhã Anahp: Luiz De Luca, Consultor em Gestão de Saúde, e Ivana Siqueira, Consultora em Gestão de Serviços Assistenciais e Educação de Profissionais de Saúde.

Tecnologia, Educação e Hospitais

Olá, tudo bem!?
Temos conversado com lideranças em centenas de hospitais de norte a sul do Brasil e notamos que são muitos os desafios que estão postos quando o assunto é treinamento e qualificação de profissionais de saúde.
Inegavelmente, os treinamentos têm sido cruciais para a qualificação do cuidado prestado, para a eficiência operacional e também para o alcance de objetivos estratégicos, como por exemplo, os selos de acreditação hospitalar. Mas sabemos que não é fácil dar conta de (re)treinar centenas e às vezes milhares de pessoas… avaliar os resultados, então… bem mais complicado.
Uns falam de orçamento restrito para educação continuada, outros em problemas para treinar os colaboradores sem desfalcar os postos de trabalho e até mesmo os que conseguem reunir todos em um auditório para as tradicionais palestras queixam-se do baixo engajamento das pessoas nos treinamentos. É uma realidade que nos preocupa, pois acreditamos que a qualificação contínua dos profissionais é parte fundamental da melhoria da assistência que prestamos aos nossos pacientes.
Por outro lado, a disseminação e popularização de tecnologias de ensino online, simulação e realidade virtual vêm impactando positivamente a forma como os hospitais treinam e avaliam seus profissionais.
Pensando nesses desafios, o Medportal entrevistou uma série de especialistas pra entender melhor como hospitais e instituições de saúde de renome estão lidando com este cenário. A Websérie Gestão da Educação 2.0 em Hospitais tratará dos principais desafios enfrentados pelas instituições de saúde no que concerne à formação e desenvolvimento dos seus profissionais e como tecnologias educacionais podem gerar eficiência e qualidade neste processo.
Diretores e gestores das áreas de qualidade, educação continuada, enfermagem e recursos humanos serão os principais beneficiados por este exclusivo conteúdo.
O lançamento da Websérie completa e gratuita será no dia 17 de outubro às 10h da manhã, mas você já pode assistir as entrevistas do pré-lançamento. Lembre que as vagas são limitadas!
Inscreva-se gratuitamente aqui: https://medportal.com.br/educacao-continuada-para-hospitais
 
Um abraço
Thiago Constancio, MD
CEO Medportal
 
 
VEJA ALGUMAS DAS ENTREVISTAS:
Heleno Costa (ESTÁ NO AR!) ✔ ✔ ✔
Gerente Nacional de Educação Corporativa do UnitedHealth Group
Tema: As Experiências da Educação 2.0 em Redes Hospitalares


Ivana Siqueira (Lançamento em 26/09)
Consultora nas áreas de melhores práticas e educação. Experiência de mais de 20 anos como executiva do Hospital Sírio Libanês
Tema: A Educação e Capacitação de Profissionais em Hospitais


Ronaldo Kalaf (Lançamento em 03/10)
Diretor da Regional ABC do Grupo NotreDame Intermédica
Tema: Como a Educação Hospitalar 2.0 pode contribuir para a conquista da acreditação e para o seu negócio


Alexandre Ísola (Lançamento em 03/10)
Gerente do Departamento de Educação Continuada – Imed Group Brasil
Tema: Tendências Pedagógicas dos Treinamentos Online para médicos em Hospitais
Assista o vídeo de introdução: https://youtu.be/VikuxF7lC3A
Inscreva-se gratuitamente aqui: https://medportal.com.br/educacao-continuada-para-hospitais

CBA e Medportal firmam parceria para atualização de profissionais de saúde no país

Lives, aplicativos e treinamentos online são algumas das plataformas ofertadas

O Brasil tem cerca de 6,5 mil hospitais e em torno de 208 milhões de habitantes em seus pouco mais de 8,5 milhões de quilômetros quadrados, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Levantamento do Conselho Federal de Medicina mostra que há quase 450 mil médicos no Brasil, sendo que somente 243 mil médicos possuem título de especialista, segundo o Cadastro Nacional de Especialistas, do Ministério da Saúde. Há maior concentração desses profissionais nas regiões Sudeste e Sul e carência no Norte, Nordeste e Centro-Oeste. O mesmo contexto ocorre com os profissionais de Enfermagem, conforme dados do Conselho Federal de Enfermagem.
Esse é um cenário preocupante: há poucas instituições e profissionais de saúde por habitantes no país, além de serem mal distribuídos regionalmente. Outra situação crítica diz respeito ao tempo que esses profissionais têm para se atualizarem em face às suas atividades laborais e ao avanço de novas técnicas e à incorporação de modernas tecnologias às práticas de saúde. Pensando nessa demanda o Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA) e o MedPortal celebram uma parceria para educação e atualização profissional em saúde à distância.
“Iniciamos nossa parceria há cerca de quatro anos disponibilizando apenas cinco cursos na plataforma do MedPortal. Posteriormente, lançamos a plataforma customizada de ensino online do CBA, utilizando a tecnologia MedPortal. Agora estamos ampliando o escopo de atuação em negócios digitais, visando democratizar o acesso ao conhecimento da acreditação, ou seja, na área de gestão, qualidade e segurança”, diz a superintendente do CBA, Maria Manuela Alves dos Santos. Para isso, o CBA conta agora com a força técnica e criativa do MedPortal para os desenhos e ofertas de produtos de ensino do CBA.
O resultado dessa associação pode ser percebido na dinâmica de ofertas de treinamentos online, no modelo tradicional e de novos produtos de relacionamento em tempo real, inclusive in company. “Iniciamos com o Live CBA, evento com transmissão ao vivo comandado pelo coordenador de acreditação do CBA, Dr. Valverde, cujo conteúdo foi sobre o novo manual de acreditação para hospitais acreditados da Joint Commission International, parceiro associado ao CBA no Brasil”, diz Thiago Constancio, CEO do MedPortal. A live contou com a participação de cerca de 150 pessoas de quatro hospitais. “A aceitação foi tamanha, que já temos outro programado neste mês, sobre o mesmo tema, e um sobre cirurgia segura previsto para novembro”, ressalta.
“A relevância dessa metodologia está no fato de facilitar a reunião de pessoas de um mesmo hospital para um treinamento online, sem que precisem se deslocar para fazer o treinamento presencial”, complementa. Outra vantagem apontada por ele está no custo. “Esse modelo está ganhando cada vez mais adeptos, até mesmo porque gera uma economia na casa de 70%”, observa.
Constancio adianta que a plataforma de ensino do CBA permite utilizar outras ferramentas para a área de ensino da acreditadora. “Em breve, teremos o Insight CBA, bate-papo temático gratuito com a participação de dois ou três especialistas”. De acordo com o CEO do MedPortal, o material integrará a biblioteca digital do CBA e será disponibilizado para pesquisas remotas.
Outra novidade a caminho é o QTracer, aplicativo holandês que facilitará a manutenção dos processos de acreditação nos hospitais. Com ele, é possível medir e avaliar a conformidade e o desempenho, de acordo com os padrões de acreditação da JCI/CBA. “Brevemente, entraremos na fase de validação dessa ferramenta, com a testagem dessa plataforma em dois hospitais”, adianta o CEO do MedPortal, que está assessorando o CBA no campo de negócios digitais voltado para a acreditação.

Congresso 2.0

A tecnologia aplicada a saúde não está somente no investimento interno da direção do CBA na área tecnológica de ensino. Tecnologias emergentes e a qualidade do cuidado é a temática central do IV Congresso Internacional do CBA, que será realizado em setembro no Rio de Janeiro.
Além das conferências e painéis abordando conteúdos como Dispositivos e sistemas de monitoramento remoto de pacientes, Análise de dados e modelagem preditiva na estratificação do risco e Medicina Digital e as Fronteiras do mundo digital: da assistência à pesquisa clínica, entre outros, o CBA e o MedPortal trazem para o Congresso uma metodologia que já é sucesso nos Estados Unidos, e também no Brasil, exibida pela Sony Channel: o Shark Tank. “Startups apresentarão suas soluções tecnológicas para a saúde no palco do Congresso. E, em seguida, serão avaliadas por especialistas, os ‘tubarões’. A vencedora receberá um programa de mentoria desses experts”, conta Thiago Constancio.
Para saber mais sobre o IV Congresso Internacional CBA acesse: http://eventos.cbacred.org.br/congresso-internacional-2017
 
Fonte: Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA)

Processos de Acreditação Hospitalar: Entrevista Exclusiva

Como já se sabe, a acreditação hospitalar tem sido constante e diretamente relacionada a padrão de qualidade dos hospitais, sendo reconhecido até mesmo pelos órgãos reguladores. Entretanto apenas 4,61% dos 6.140 hospitais brasileiros possuem algum tipo de acreditação, considerando a dificuldade de se implementar tal processo. Recentemente tivemos a oportunidade de entrevistar a Gerente de Gestão da Qualidade de um dos nossos clientes, o Real Hospital Português de Beneficência em Pernambuco, Georgia Sabino, sobre processos de acreditação. Confira abaixo:

Fale um pouco de você: formação, expertises, interesses, hobbies, área que ocupa no Hospital, atividades.

Formação em Gestão Hospitalar/FBV com MBA em Gestão Empresarial/Fundação Getúlio Vargas
Expertise em Gestão Estratégica e Planejamento (GPD;GRD)/Gestão de Projetos / Gestão de Indicadores
Cargo atual: Gerente de Gestão da Qualidade
Escopo das atividades: Gestão de Documentos Normativos / Gestão de Certificações / Gestão por Indicadores / Gestão por Resultado / Gestão de Processos / Gestão de Auditoria Interna / Staff da Alta Gestão (Negócio; Processos e Projetos)

Qual o status de sua empresa no que concerne ao assunto acreditação hospitalar (quais acreditações já conquistaram, quais estão em processo, quais almejam conquistar)?

Atualmente Acreditado pela JCI e Re certificado ISO 9001:2008

Qual a dinâmica dos processos de acreditação que já ocorreram em sua instituição (de onde surge a demanda e como se encadeou o processo até a concretização do projeto como um todo, como o hospital se organiza do ponto de vista de pessoas/estrutura no que tange ao processo de acreditação hospitalar)?

A demanda relacionada ao projeto é espontânea, não há obrigatoriedade para os hospitais em ter um selo de certificação de Segurança do Paciente.

O processo começou a partir de um diagnóstico especifico e customizado para esta instituição e a partir do resultado o escopo do projeto foi implementado e revisado a cada 6 meses. Fomos acreditados em menor tempo que os outros hospitais da Região, o projeto começou em Abril de 2013 e fomos acreditados em Outubro de 2016.

A partir de cada necessidade do binômio área/processo as não-conformidades foram sanadas e o hospital foi ganhando em menos falhas/erros e consequentemente mais segurança.
As lideranças das áreas e dos processos tiveram papel fundamental como força propulsora para execução e conclusão das ações relacionadas ao projeto.
A organização em relação aos recursos necessários (RH e Estrutura) para continuidade do projeto se deu de forma racional e responsável com total aval da alta gestão.

Quais os maiores desafios, dificuldades e problemas que encontraram (e/ou encontram) nos processos de acreditação hospitalar, e como lidam e contornam atualmente os mesmos?

O maior desafio é transformar os critérios do Manual Internacional em projetos factíveis/eficientes e principalmente que as equipes de todos os níveis institucionais sintam-se partícipes e importantes na execução das tarefas mais rotineiras até as decisões mais estratégicas.

O desafio atual é manter o nível de Qualidade dentro da excelência, sem a acomodação natural relacionada a conquista do selo de Acreditação.

De que maneira, no seu ponto de vista, ferramentas de treinamento e avaliação podem ser utilizadas para facilitar e potencializar os processos de acreditação hospitalar?

Cada instituição tem sua especificidade.

Não há receita pronta de ferramentas que possa facilitar ou potencializar a execução/finalização de projetos ou tarefas com foco na conformidade. A grande maioria precisará ser customizadas ou reinventadas para o negócio hospital. É necessário que gestores de projetos robustos, a exemplo da Acreditação, tenham em mente que diferença entre o que o “mercado” oferece e o que é factível está no diagnóstico e no perfil das equipes de multiplicadores. O que pode ser fantástico para um hospital pode ser obsoleto para outro – tudo vai depender do momento (cenário) em que a instituição está e onde ela quer chegar.

Recursos tecnológicos e educacionais como apoio à acreditação hospitalar

Hospitais utilizam recursos tecnológicos e educacionais como apoio na implementação de processos de acreditação hospitalar

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) divulgou recentemente uma lista com hospitais que atendem critérios de qualidade relacionados a determinado padrão assistencial (acreditação, índice de readmissão hospitalar e segurança do paciente), restando claro que a acreditação hospitalar está fortemente relacionada ao padrão de qualidade reconhecido até mesmo pelos órgãos reguladores. A acreditação é um procedimento de verificação externa dos recursos institucionais e dos processos adotados pelas instituições e mede a qualidade da assistência através de um conjunto de padrões previamente estabelecidos. Seu caráter voluntário pressupõe que apenas as instituições realmente interessadas na melhoria da qualidade dos seus serviços se habilitem para tal avaliação.

Define-se portanto acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde. Tem um caráter eminentemente educativo, voltado para a melhoria contínua, sem finalidade de fiscalização ou controle oficial/governamental, não devendo ser confundida com os procedimentos de licenciamento e ações típicas de Estado.

O processo de acreditação é pautado por três princípios fundamentais:

  • é voluntário, feito por escolha da organização de saúde;
  • é periódico, com avaliação das organizações de saúde para certificação e durante o período de validade do certificado;
  • é reservado, ou seja, as informações coletadas em cada organização de saúde no processo de avaliação não são divulgadas.

Portanto é notório que esses padrões excedem, em muito, as habituais exigências mínimas de funcionamento da vigilância sanitária. Consequentemente, todo serviço de saúde que se submete à acreditação necessita de um período, em média, de 12 a 16 meses para se adequar aos requisitos de qualificação. No final das contas o que se deseja é que os pacientes recebam atendimento qualificado e seguro e as organizações de saúde cumpram suas missões. “Torna-se contínua a necessidade de indicadores de desempenho que contemplem estruturas hospitalares que atuam de forma interativa em três grandes áreas: gestão da segurança, organização de processos e gestão dos resultados, o que tem sido definido como programas de acreditação hospitalar (CAMPOS; GASTAL; COUTO, 2008)”. Ainda, “…não se trata, portanto, de apenas mais um processo de gestão da qualidade e sim do compromisso com a segurança, a ética profissional, os procedimentos e com a garantia da qualidade no atendimento à população. Procura-se beneficiar os usuários, os trabalhadores da saúde e a instituição hospitalar” (EMÍDIO et al., 2013).

Entretanto apenas 4,61% dos 6.140 hospitais brasileiros possuem algum tipo de acreditação, não havendo lei que obrigue a instituição a buscar esta certificação feita por empresas externas, estas encarregadas de avaliar centenas de processos em um hospital como prontuários, taxa de infecção e capacitação de funcionários. Além disto, em levantamento feito pela Folha de São Paulo em 2016, dos 283 hospitais acreditados no Brasil, quase 40% estavam concentrados em território paulista, sendo que a região Norte, Acre, Rondônia, Roraima e Tocantins não tinham instituições certificadas. Em contraste, nos EUA e no Canadá por exemplo, governos e seguradoras de saúde exigem certificação dos hospitais com os quais firmarão contratos ou parcerias, além disto os pacientes usam estes selos como parâmetro para escolher onde desejam ser atendidos. Segundo a economista da saúde Maureen Lewis, professora na Georgetown University (Washington), neste mesmo relatório, “a certificação traz mais segurança ao paciente. Os hospitais não podem deixar aumentar o nível de infecção hospitalar senão perdem o selo”, exemplifica. A reportagem conclui: “Até 70% dos erros que ocorrem em hospitais brasileiros, como medicações trocadas ou operação de membros errados, seriam evitados se as instituições seguissem protocolos já estabelecidos.”
Inúmeros motivos vêm sendo apresentados como justificativas por estes números ainda deficitários, dentre eles alguns levantados em pesquisa realizada pelo Centro de Estudos em Gestão de Serviços de Saúde (Panorama da Acreditação Hospitalar no Brasil), quais sejam:

  • dificuldade no desenvolvimento da cultura da gestão da qualidade;
  • necessidade da criação de uma cultura de registro, de formalização dos processos;
  • necessidade da criação de uma cultura de qualidade no hospital;
  • necessidade da criação de uma cultura da mensuração;
  • desenvolvimento do trabalho em equipe e a multidisciplinaridade;
  • adequação do hospital, em termos de estrutura, às especificações;
  • resistência do corpo clínico aberto;
  • comunicação interna da importância do processo de acreditação;
  • resistência do corpo clínico interno;
  • adequar as especificações da certificação à cultura Brasileira.

Considerando o enorme desafio acima citado, para se implementar um processo de acreditação em uma instituição de saúde torna-se fundamental agregar ferramentas e sistemas que facilitem a propagação do conhecimento, da cultura pretendida, dos protocolos e das informações relevantes para o processo de acreditação. A sistematização do processo educacional necessário envolvido na implementação de uma instituição acreditada pode ser amplamente alavancada e facilitada com o uso de novas tecnologias e técnicas metodológicas, contemplando principalmente ferramentas de ensino à distância, adaptative learning, gamification, mas principalmente conteúdo, avaliações e certificações online. Conforme concluído por Emídio et al. ( 2013 ) : “Instituições que desenvolvem processos de acreditação hospitalar experimentam situações educacionais nas quais todos os seus participantes precisam discutir de forma aprofundada temas como eficiência e eficácia. É comum que determinados setores ofereçam resistência a tais programas, o que exige etapas de sensibilização e de diagnóstico institucional participativo, para posterior avaliação da situação e discussão de processos de aperfeiçoamento”.

Inovação no que concerne questões educacionais e tecnológicas está relacionada a praticamente todas as variáveis de análise e avaliação inerentes ao processo de acreditação, dentre elas:

  • apoio dos níveis estratégico, tático e operacional;
  • uso de indicadores de qualidade;
  • padronização e documentação de processos;
  • aplicação de protocolos de atendimento;
  • envolvimento das pessoas;
  • uso de consultorias interna e externa;
  • e programas educacionais voltados para a manutenção do selo de acreditação.

Cabe ressaltar que, apesar de todas as dificuldades, diversas instituições vêm conseguindo agilizar e simplificar o processo de acreditação hospitalar com sucesso quando adicionam procedimentos tecnológicos educacionais às suas rotinas institucionais. Em estudos de caso sobre o tema (EMÍDIO et al., 2013) destacam-se situações em que uma abordagem com vies educacional tornou o processo possível: “… O ponto forte deste hospital é a excelência do corpo clínico e a alta tecnologia empregada, bem como a preocupação dos gestores com a qualidade e em treinar e atualizar multiplicadores internos, focados na manutenção do selo conquistado, para garantir a segurança, a organização e os resultados da qualidade a qualquer termo.”

Por fim, em praticamente todos os casos de sucesso nota-se um forte viés de implementação, incentivo, investimento e ampliação de programas de treinamento e educação continuada, sendo as variáveis “treinamento homem/hora”, “avaliação de desempenho” e “atualização profissional” as mais utilizadas globalmente para aferição deste esforço, variáveis estas que vêm cada vez mais sendo otimizadas (qualidade, custo, capilaridade) através do uso de plataformas online de educação e novas tecnologias educacionais.

 

Outros materiais para você:

Como aumentar o lucro e a qualidade dos hospitais

Degustação gratuita para treinar até 10 pessoas de seu time em nossa plataforma

Websérie de entrevistas online sobre a Gestão da Educação 2.0 para hospitais

 

Referências, links e sites consultados:

Medportal Apoia VIII Seminário Nacional em Acreditação Internacional

O Medportal Soluções Educacionais apoia a realização do VIII Seminário Nacional em Acreditação Internacional que acontecerá nos dias 07 e 08 de novembro de 2016, no Hotel Golden Tulip Paulista Plaza (Alameda Santos 85, Jardins, São Paulo/SP).
O evento, que é uma realização do Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), terá palestrantes de expressividade no cenário nacional para apresentar e discutir temas relacionados à Gestão de Instituições de Saúde e também ao Diagnóstico e Tratamento através da Acreditação Internacional.
 
Veja o programa completo e Inscreva-se em: http://cbacred.org.br/seminario-nacional/viii/
 
Sobre o Medportal Soluções Educacionais:
O Medportal é o primeiro e maior provedor de plataformas de ensino a distância direcionadas a instituições de saúde no Brasil, contando com milhares de alunos matriculados em todos os estados do país e em mais 9 países. Criado com o intuito de desenvolver o ensino de medicina e saúde no país, o Medportal oferece tecnologia completa de treinamento, avaliação e certificação de profissionais para Hospitais, Instituições de Ensino e demais empresas do setor de saúde. As principais atividades do Medportal estão divididas em: (1) soluções educacionais (tecnologia + conteúdo + consultoria) customizadas  e (2) conteúdo de atualização (cursos e treinamentos) para profissionais de saúde através de websites próprios.

Medportal ajuda hospitais na Acreditação Internacional

O Hospital Infantil Sabará e o Hospital Santa Helena, clientes do Medportal no Estado de São Paulo, acabaram de revalidar seus selos de acreditação internacional, chancela que é símbolo de qualidade, segurança e eficácia no atendimento hospitalar. O primeiro foi contemplado com a certificação da Joint Commission International (JCI), principal agência reguladora de instituições de saúde no mundo, e o segundo pela Accreditation Canada International, selo que tem sido cada vez mais valorizado no país.
O processo de obtenção da Acreditação é extremamente rigoroso e inclui o cumprimento de diversas normas e procedimentos de segurança, qualidade, controle, dentre outras. Para obter esta chancela, a qualificação do corpo de profissionais é vital. Segundo o Dr. Ronaldo Kalaf, Diretor Vice-Presidente do Santa Helena Saúde:

“O processo de reacreditação é longo e exaustivo. Os níveis de exigência para a obtenção da chancela são elevados e é imprescindível que o todo o corpo de profissionais do Hospital esteja 100% treinado e familiarizado com as melhores práticas e procedimentos. Com a Acreditação Qmetum Diamante, o Hospital Santa Helena se consolida como um dos principais do país”.

 
Para o CEO do Medportal e médico, Dr. Thiago Constancio, há um conjunto de fatores que estimula a conquista da acreditação, e complementa: “a busca da melhoria dos processos, a diminuição do retrabalho e a gestão estruturada dos riscos são alguns destes fatores que alavancam a obtenção da chancela. Para todos eles, é fundamental ter um corpo de profissionais treinado e apto a realizar os procedimentos de forma adequada. Desta maneira, ficamos extremamente orgulhosos que tanto o Hospital Infantil Sabará quanto o Hospital Santa Helena utilizem as Soluções Educacionais do Medportal para treinar online seus colaboradores”.

Medportal e CBA ampliam parceria tecnológica!

A estratégia de geração, organização e disponibilização de conteúdo na Web sobre Acreditação Internacional ganhou recentemente um novo capítulo. O Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), representante no Brasil da maior acreditadora de instituições de saúde do mundo – Joint Commission International (JCI), ampliou junto ao Medportal – Soluções Educacionais a sua estrutura tecnológica para cursos e treinamentos a distância.
Desde o final de 2013 já era possível ter acesso ao conteúdo do CBA no Medportal – Leia mais – e em 2015 o CBA optou por adquirir a solução educacional completa do Medportal. Ou seja, o CBA agora conta com a plataforma de EAD customizada, além dos módulos para Avaliação de Alunos, Gestão Educacional e Biblioteca de Cursos.
A ampliação da estratégia de treinamentos do CBA foi lançada no III Congresso Internacional de Acreditação CBA em Setembro de 2015 e apresentada pelos técnicos do Medportal ao público presente – Leia mais.
Parabéns CBA! Agradecemos a confiança e ratificamos o nosso orgulho em apoiar tão relevante instituição!
Conheça o Medportal – Soluções Educacionais para Treinar, Avaliar e Certificar profissionais de saúde em instituições ligadas ao setor!
 

Governo e Direção de Hospitais – A grande mudança no novo manual da JCI

Por Heleno Costa Júnior

Fonte: CBA /Saúde Web

A cada três anos os manuais de acreditação da Joint Commission International (JCI), que no Brasil é representado pelo Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA) são integralmente revisados. O objetivo da revisão é garantir que os padrões que compõem os manuais estejam devidamente atualizados e sejam adequadamente aplicados nas instituições que os utilizam. A última revisão foi a do Manual Hospitalar, que alcança a sua quinta edição.


divulgacao-medportal

O melhor ambiente online para ensinar e aprender medicina e saúde
Retorno profissional, financeiro e pessoal para os professores. Para os alunos, as melhores aulas de medicina na internet!

Clique aqui e conheça todos os Cursos Online do Medportal!


Um Comitê Internacional de Padrões é mantido pela JCI, o qual tem formação multidisciplinar, incluindo representantes dos cinco continentes, do qual tenho a honra e a rica oportunidade de participar. O trabalho do comitê se foca nas revisões dos padrões, as quais estão baseadas em informações coletadas por meio do trabalho realizado em cerca de 60 países, onde até dezembro de 2013, mais de 600 instituições de saúde tinham recebido o selo de acreditação internacional. No Brasil, cerca de 56 instituições já são acreditadas.  Através dos projetos de consultoria e avaliações, o comitê desenvolve um monitoramento contínuo da aplicação dos manuais e seus respectivos padrões, além de, periodicamente,  realizar pesquisas diretas e consultas públicas com profissionais e instituições para complementar informações relevantes sobre o conjunto de padrões que a JCI utiliza em seus programas.

Na revisão do manual hospitalar, para a publicação da quinta edição que passou a vigorar no último dia 01 de abril, o principal foco da mudança foi o Capítulo que trata do Governo, Liderança e Direção, que agora passa a ser o maior capítulo do manual. Nesta mudança a essência foi trazer para a responsabilidade direta dos gestores, em todas as suas instâncias, a gestão da qualidade e segurança dos processos de cuidado ao paciente. Nesta nova edição, os gestores, em especial a Direção Geral, deverá apresentar evidências de que prioridades de melhoria e segurança estão sendo definidas e implementadas e como essas melhorias estão impactando os resultados da instituição, considerando os  aspectos de custo e de eficiência.

Essa análise de impacto deve ser feita por meio do uso contínuo de indicadores, relatórios, análises críticas e outros instrumentos e ferramentas que, de forma sistemática, evidenciem a efetividade das ações de melhoria. Um relatório anual sobre os impactos prioritários deverá ser apresentado pela direção. Um conjunto de padrões foi incluído nesta nova edição visando a criação e manutenção de uma cultura de segurança na instituição, pautada em conceitos e princípios que devem ser definidos e disseminados diretamente pela direção e suas principais lideranças.

O uso e os resultados da aplicação de protocolos clínicos institucionais também foram alocados neste capítulo e serão avaliados quanto a sua efetividade na melhoria dos desfechos clínicos dos processos ou patologias para os quais são aplicados. Outro área trazida para a responsabilidade da liderança está relacionada com a realização ou desenvolvimento de pesquisas clínicas nos serviços da instituição.

Por fim a direção geral, liderança e gestores de departamentos e serviços serão responsáveis pelo gerenciamento de risco, a partir do recebimento e análise regular de relatórios sobre a ocorrência de eventos adversos e eventos sentinelas que eventualmente aconteçam na instituição.

O manual também foi aperfeiçoado em seu conjunto geral de informações, trazendo as referências técnicas e cientificas que foram utilizados para revisar, complementar ou incluir padrões nos diferentes capítulos. Também foram incluídos dois novos capítulos que serão aplicados quando o hospital for uma instituição de ensino que esteja diretamente vinculada com uma única faculdade de medicina, para desenvolvimento de atividades de ensino relacionadas com a graduação médica e que tenha centro de pesquisa clínica.


Curso Online de Acreditação Internacional em Instituições de Saúde (CBA/JCI) – Professor Heleno Costa Junior

Introduzir o conhecimento sobre a metodologia desenvolvida pela Joint Commission International (JCI), aplicada no Brasil pelo Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), com ênfase nos processos de educação e acreditação e com destaque para o manual e os padrões aplicáveis para instituições de saúde hospitalar.


Curso Online de Manual de Padrões de Acreditação da Joint Commision International para Hospitais (CBA/JCI) – Professor Heleno Costa Junior

Curso Online sobre a 5ª edição do Manual Internacional de Padrões para Hospitais da Joint Commission Internacional (JCI). Fundamental para instituições de saúde que buscam melhores resultados em qualidade e segurança do paciente, por meio da metodologia de acreditação internacional!