Desenvolvimento de lideranças em saúde: por que é fundamental?

A verdadeira essência de uma empresa são as pessoas e esta premissa é ainda mais marcante para hospitais e demais instituições de saúde, que lidam diariamente com vidas. Desta forma, é fundamental que seja estabelecido um ambiente propício ao desenvolvimento contínuo destes colaboradores, para que possam exercer suas funções com maestria e eficiência. Neste contexto, há alguns fatores que interferem na implementação de processos relacionados a este fim, sendo um deles a atuação dos líderes. Responsáveis por guiar a equipe em direção aos melhores resultados, o líder precisa ter autonomia, amplo conhecimento, entendimento da cultura da empresa e capacidade de trabalhar em equipe. É fundamental que seja estabelecida uma relação próxima e transparente entre o líder e a equipe.

Chefe x líder

Existe certa confusão ao se definir liderança, causada principalmente ao se classificar um líder somente a partir de sua posição no trabalho. O mais correto seria questionar o quanto determinadas pessoas exercem influências positivas (ou negativas) sobre os demais e qual sua bagagem de conhecimento – independente de seu cargo. Nesse caso, torna-se mais fácil destacar quem genuinamente está comprometido com o crescimento da equipe e com a entrega da missão da empresa.

Em um hospital, por exemplo, pode haver líderes distribuídos na equipe da recepção, administrativo, corpo técnico de enfermagem, educação, qualidade, dentre outros. Por outro lado, o “chefe” é aquele que tão somente ocupa determinada posição dentro de uma estrutura hierárquica empresarial, sem que exerça influência positiva ou transformadora junto à equipe. Os processos administrativos nesse modelo são totalmente verticais, voltados para objetivos sistêmicos e sem espaço para a opinião dos demais membros.

Processos interativos e capacitação

Promover um ambiente que abrace a participação dos “liderados” torna-se fundamental, uma vez que ampliará a visão, pluralidade e satisfação da equipe com os objetivos traçados. Isso se torna possível a partir de uma efetiva e contínua capacitação de todos os colaboradores, preferencialmente no modelo híbrido (presencial e online ao mesmo tempo).

Em empresas que atuam no ramo da saúde, esta preocupação deve ser ainda maior pois o “objeto” do trabalho é a vida. Profissionais comprometidos com a cultura da empresa entregam mais valor e excelência aos clientes.

A consultora em educação e gestão em saúde, Ivana Siqueira, durante entrevista para a Websérie do Medportal, comenta sobre os aspectos inerentes à importância da capacitação e atuação em equipe, afirmando que as instituições da saúde precisam de pessoas que saibam executar bem suas tarefas de modo prático. Ela cita ainda a pluralidade que existe nos hospitais, os quais possuem grande efetivo de recursos humanos, e como construir casos de sucesso: “A questão é como pegar todas essas pessoas de diferentes níveis sociais e aplicar. A grande sacada seria, com todas essas diferentes categorias profissionais, tornar tudo bastante interativo e amigável”.

Referências:

Entrevista Ivana Siqueira para Websérie Medportal: Transformação Digital e o Profissional

https://exame.abril.com.br/pme/o-que-acontece-na-empresa-quando-o-lider-nao-sabe-comandar/