Saúde e transformação digital: quais as tendências para 2020?

Transformação digital, educação à distância, gamification, inteligência artificial, internet das coisas, novo comportamento dos consumidores e novas necessidades para os profissionais. Essas são algumas das novidades que têm invadido diversos mercados e, no setor da saúde, não poderia ser diferente.

Em 2020 a transformação digital em saúde deve se intensificar com o boom das healthtechs, startups que combinam tecnologia com serviços em saúde. Da mesma forma como aconteceu recentemente no mercado financeiro, empresas inovadoras começam a remodelar agora a maneira como os pacientes se relacionam com médicos e hospitais. A digitalização de processos passará a ser uma necessidade para aqueles que oferecem serviços de saúde.

Em 2019 foram amplamente debatidos temas como confidencialidade dos dados dos pacientes, telemedicina, tele-educação. Para 2020 será preciso avançar o entendimento sobre assistência médica orientada por dados, viabilizando melhor tomada de decisões clínicas. Inovação não está relacionada apenas à tecnologia, mas também às dores e mudanças de comportamento da sociedade. Torna-se cada vez mais essencial que os profissionais de saúde compreendam a importância de estarem atualizados com as principais demandas e tendências da área, visando sempre a busca por inovação e excelência.

Listamos abaixo algumas tendências para este ano:

1. Telemedicina

Com a mudança de comportamento dos consumidores, novas demandas vêm sendo discutidas no setor. A tecnologia poderia permitir, por exemplo, que mais pacientes (escala) sejam atendidos em locais distantes (capilaridade), a custos menores (economia) e com muita qualidade? A telemedicina viabiliza que pacientes recebam informações sobre a sua saúde, diagnóstico e tratamento de forma mais rápida, sem precisarem ir até a instituição de saúde.

No Brasil esse tema encontra-se em plena discussão. A regulamentação sobre  a telemedicina foi atualizada e, logo em seguida, revogada pelo CFM no primeiro trimestre de 2019. Considerando o interesse sobre o tema, muitos acreditam que este assunto retornará para pauta em 2020.

2- Inteligência Artificial

Soluções de Inteligência Artificial (IA) em saúde já existem, ainda que timidamente, em alguns serviços no Brasil e no exterior. A partir deste ano a tendência é ampliar a presença desta tecnologia em outros serviços, tanto como auxílio no diagnóstico de doenças como na gestão, por exemplo, com a identificação de padrões no preenchimento de formulários e relatórios.

A Inteligência Artificial pode ter aplicações diversas na saúde: desenvolvimento de medicamentos, diagnóstico de doenças, medicina personalizada, monitoramento de pacientes, etc.

3- Realidade Virtual 

A Realidade Virtual (RV) pode melhorar a experiência humana fazendo uso da tecnologia e vem sendo utilizada na saúde em diversos contextos: educação, treinamentos e simulações, assistência à dor, reabilitação, tratamento de transtornos de estresse pós-traumático, etc.

4- Blockchain 

O blockchain tem diversas aplicações, já que descentraliza o fluxo dos dados, elimina intermediários excedentes e garante maior segurança às transações. Desta forma, é vista por especialistas como uma nova ferramenta útil em diversos processos empresariais, não somente em transações financeiras, mas também em negociações de propriedades digitais no setor industrial e de saúde.

Para a consultoria Deloitte, o papel dessa tecnologia na saúde é colocar o paciente no centro do ecossistema, aumentando a segurança, privacidade e interoperabilidade dos dados. Blockchain é um tópico importante, porque parece responder a um apelo mundial por maior transparência e confiança em relação aos dados de saúde. Esse mercado foi estimado em US$ 44,6 milhões em 2017 e pode crescer em 67,1% ao ano até 2023.

5- Processos 

O prontuário eletrônico já é realidade para muitos hospitais do Brasil e tudo indica que em 2020 sua importância será ainda maior. A solução, aos poucos, deixa de ser um simples repositório de informações para passar a integrar e correlacionar diferentes dados, tais como: dados financeiros, dados gerados pelos próprios pacientes, ferramentas de auxílio à decisão clínica. O objetivo é gerar informação e inteligência em saúde, de modo a garantir a segurança dos dados atrelada a serviços que agilizem e aumentem a qualidade do atendimento.

6 – Novas parcerias e novos players

O relatório 2019 Global Healthcare Outlook apresenta diversas fusões e aquisições como tendência mundial no setor saúde, com destaque aos investimentos realizados por empresas cujo objetivo é ampliar ou consolidar verticais no mercado. Especialistas acreditam que 2020 será um ano ainda mais propício a investimentos de grandes grupos que almejam maior consolidação e expressão no mercado, estimando grande fluxo de capital para investimentos no setor.

Referências

https://blogbrasil.comstor.com/como-o-blockchain-pode-transformar-o-setor-da-saude

https://www.ictandhealth.com/news/digital-health-2020-ai-ar-vr-telemedicine-enter-everyday-life/

https://saudebusiness.com/colunas/o-ano-de-2020-chegou-quais-sao-as-tendencias-em-tecnologia-para-saude/

Pessoas, Educação e Tecnologia: fatores estratégicos para hospitais

“Importante gerar e analisar os dados e educar todos os envolvidos da empresa, dizem os especialistas que participaram nos painéis do Medportal Summit”

     Aconteceu na última terça-feira (12) o Medportal Summit, com o apoio da ANAHP (Associação Nacional de Hospitais Privados), onde centenas de executivos de saúde estiveram presentes, seja no local ou assistindo online a transmissão ao vivo.

     Em um cenário mundial em que bilhões de dólares são investidos anualmente na chamada “transformação digital”, o tema principal do evento foi Pessoas, Educação e Tecnologia: fatores estratégicos para hospitais.  Dr Thiago Constancio, CEO do Medportal, abriu o evento contextualizando o público a respeito dos desafios do mundo digital e também sobre a presença e apoio crescente que o Medportal tem dado aos hospitais no desenvolvimento profissional e institucional: atualmente são mais de 180 mil pessoas de aproximadamente de 220 organizações estudando com as plataformas desenvolvidas pelo Medportal.

     Em seguida, Marco Aurélio Ferreira, CEO da ANAHP, falou sobre a importância de conectar, envolver e ativar todos os stakeholders do mercado de saúde nas iniciativas do setor, por exemplo, naquelas ligadas à transformação digital, sejam estas organizações da rede pública ou privada, a fim de proteger os profissionais, as instituições e melhorar o atendimento na ponta.

“Inovação é buscar todo dia uma forma diferente de melhoria”.

     Rodrigo Lopes, CEO do Grupo Leforte, abriu a mesa redonda “A visão da alta gestão sobre a educação digital e telemedicina para os hospitais”. Segundo Rodrigo, as empresas precisam investir em inovação e utilizar a tecnologia para otimizar o tempo da equipe assistencial e beneficiar os pacientes em tempo oportuno. Para ele “inovação é buscar todo dia uma forma diferente de melhoria”.  Lopes reforça que o líder precisa estar presente em todos os setores para identificar se a comunicação e a estratégia definida na alta gestão estão alinhadas com os que estão na ponta.

     A transformação digital precisa começar com os dirigentes da instituição, apontou Andrea Drumond, Superintendente do Hospital Renascença e Presidente do Capítulo Santa Catarina do CBEXs – Colégio Brasileiro de Executivos de Saúde. Andrea disse que não precisamos ter medo do novo e que a educação digital e a telemedicina vão acontecer inevitavelmente. Portanto os gestores precisam mudar o seu mindset, a cultura precisa se transformar. “A tecnologia é o meio, ferramenta de transformação, o fim é o cuidado com o humano”, afirmou Andrea Drumond.

     Luiz De Luca, Consultor em inovação e Gestão em Saúde, ao moderar a mesa apontou que precisamos mudar o repertório e se estamos no momento da transformação digital não podemos fazer como sempre. De Luca comentou que um líder deve se preocupar inicialmente com a gestão de habilidades de seus colaboradores, para então formar pessoas com competências mais amplas, o que melhora o diferencial competitivo da organização. Preparar pessoas é fundamental para transformar a organização, desta forma é preciso educar, transformar a cultura e, assim, todos os seus colaboradores, salientou De Luca.

     Para Andrea Drumond, é preciso engajar todos no projeto e sempre colocar o paciente no centro da atenção. “Primeiro você trabalha a comunicação entre os profissionais, depois ativa o engajamento e por último transforma a cultura empresarial.”

     De Luca finalizou a primeira mesa redonda falando que é importante envolver todos no mesmo propósito da empresa, para que eles caminhem na mesma direção e a tecnologia possa ser uma aliada neste processo.

O desafio de desenvolver líderes: qual o caminho?

     A segunda mesa teve início com a seguinte colocação da palestrante Ivana Siqueira, consultora em educação e gestão em saúde e assessora do Instituto Sócrates Guanaes: “o líder precisa ser diretor, implantador, inspirador, treinador e motivador”.

Ivana acredita que para desenvolver líderes é necessário:

– Informação para conhecer, estimular, atualizar e sintetizar;
– Agenda para discutir dados, indicadores, resultados e informações;
– Transformar dados em informação;
– Ter técnicas de busca;
– Executar habilidades de síntese;
– Dar oportunidade de decisão;
– Coragem, vontade e espaço para implementação das ideias.
“O conhecimento entre pessoas dentro e fora da empresa é vital para o desenvolvimento”, disse Ivana.

     O moderador da segunda etapa, Dr Francisco Balestrin, Presidente da International Hospital Federation e presidente do Conselho do CBEXs (Colégio Brasileiro de Executivos em Saúde), afirmou que “ser líder não é ter seguidores, mas sim, formar outros líderes”.

     Para o Dr Dario Ferreira, fundador do Instituto Brasileiro de Segurança do Paciente, “saúde tem o desafio de ter uma assimetria muito grande entre os profissionais. O líder nos hospitais precisa compartilhar os dados assistenciais com a sua equipe, promovendo aprendizado e conhecimento com todos”. Nesse sentido: “o líder, ele precisa se adaptar e precisa ter coragem, energia, humildade e transformar a sua realidade e a da organização em que atua”, complementou Ivana durante o debate.

     Para o Dr Leonardo Brauer, diretor operacional na Imed Group Brasil, ainda falta a percepção e conhecimento dos líderes para algumas outras questões que não as estritamente técnicas: “não é só olhar o processo, mas sim perceber e entender como funciona tudo ao redor.”

     Diante disso, é preciso estarmos abertos para acompanhar essas transformações tecnológicas, e estas mudanças de pensamento precisam começar na alta gestão. Todos os envolvidos na instituição precisam estar alinhados com o seu propósito e preparados para o novo, colocando sempre o paciente no centro da atenção.

Café da Manhã Anahp discute educação a distância

De que forma a tecnologia, tão presente no nosso dia a dia, pode melhorar a qualidade da educação e do treinamento de pessoal nos hospitais? Essa é a pergunta que norteou o Café da Manhã Anahp, realizado nesta terça-feira (10) na sede da Associação em parceria com a Medportal. O objetivo, ao reunir especialistas do setor, foi o de descobrir vantagens e impactos da educação via plataformas digitais para o setor saúde.
O Instituto PEnSI, braço de ensino e pesquisa em saúde da Fundação José Luiz Egydio Setúbal, que administra o Hospital Infantil Sabará (SP), investe atualmente em uma plataforma de ensino a distância, e EaD PEnSI, voltada tanto para o público interno (treinamentos, como parte da estratégia de educação continuada) como o externo (cursos). Mais de 30 mil pessoas já fizeram treinamentos na plataforma. Há conteúdos pagos e gratuitos.
A plataforma também está sendo usado no projeto de telemedicina da fundação com o Ministério da Saúde em oito municípios do estado do Amazonas, dentro do Pronon – Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica. O objetivo é capacitar agentes comunitários do Programa de Saúde da Família (PSF) para o diagnóstico precoce de câncer em crianças e adolescentes, aumentando a chance de cura. O projeto pretende capacitar ao menos 90% dos agentes e 75% dos médicos, atendendo cerca de 460 mil pessoas.
“Estamos animados com todos esses projetos. Esperamos crescer e melhorar cada vez mais nossos indicadores”, ponderou Fátima Fernandes, Diretora Executiva do Instituto PEnSI.
Para o iMed Group Brasil, especializado na prestação de serviços médicos, as plataformas digitais são parte de uma estratégia de treinamento mais ampla cujo objetivo é bastante claro: melhorar o desempenho e a motivação dos profissionais, e assim também resultados e o retorno sobre investimentos feitos.
Segundo Alexandre Ísola, Gerente do Departamento de Educação Continuada da companhia, “a tecnologia vem para ajudar”. O Portal de EAD do iMed Group Brasil aposta em trilhas de conhecimento, com conteúdos exclusivos para colaboradores e outros abertos ao público. Há ainda espaço para debate com os professores e entre os alunos de cada trilha.
Os treinamentos têm sido usados, com sucesso, para a melhoria dos índices de satisfação dos pacientes, medida através do Net Promoter Score (NPS).
Também participaram do Café da Manhã Anahp: Luiz De Luca, Consultor em Gestão de Saúde, e Ivana Siqueira, Consultora em Gestão de Serviços Assistenciais e Educação de Profissionais de Saúde.

Play the Game

[blockquote ]”it’s easy when you know the rules
it’s easy all you have to do…play the game…
Everybody play the game…” [/blockquote]
Fazendo pequeno trocadilho com a música do Queen (Play the Game), venho com a provocação do uso de gamefication nas instituições de saúde com intuito de transformar processos e ações em jogos de desempenho com envolvimento dos colaboradores.

Conceito

Embora o termo gamification seja de 2002 por Nick Pelling, um programador de computador e inventor britânico, ele veio ganhar popularidade somente em 2010. Podemos definir o termo como a aplicação de elementos de jogo de concepção e princípios de jogo em contextos não-jogo ou somente o contexto de uma competição na tentativa de melhorar o envolvimento dos usuários, produtividade organizacional, fluir, a aprendizagem, recrutamento e avaliação, facilidade de uso e utilidade dos sistemas, o exercício físico, infrações de trânsito, e eleitor apatia, entre outros. Uma revisão das pesquisas sobre gamification mostra que a maioria dos estudos encontramos efeitos positivos. Gamification tem sido amplamente aplicado no mercado, principalmente na área de marketing, nestes últimos 3 anos. Mais de 70% das 2000 empresas inquiridas em 2013 (Forbes Global) disseram que planejam usar gamification para fins de marketing e retenção de clientes.

Gamification, EAD e Área Saúde

Como você mede a produtividade e GAPs de sua instituição de Saúde?

A produtividade dos funcionários é outro problema que gamification tem sido usado para atacar. Exemplos como a imagem deste artigo, onde não sabemos quais GAPs temos em nossa instituição e quem é o colaborador mais engajado com as políticas da instituição, ou até mesmo:

O que fazer com as brechas identificadas nos processos internos?

Em instituições complexas, como as de saúde, a utilização do gamification pode ser usado para medir a produtividade de seus funcionários, o engajamento dos colaboradores e saber se o procedimento mais simples é levado em consideração. O objetivo principal é colocar todos para jogarem. Pode ser utilizado 3 modalidades de campeonatos: jogos entre equipes (como é o desempenho em equipe), competição individual (medir o desempenho individual em relação a todos) e entre seus gestores (medir quem lidera).
Desta forma nada como unir o conceito de jogos com educação a distância (EAD)Esta técnica é amplamente indicada para tratamento das possíveis brechas identificadas em seus processos internos. Neste ponto entramos em cena, o Medportal Soluções Educacionais fornece juntamente com sua plataforma de EAD módulo de gamification.
Uma competição entre equipes pode ser simples, objetiva e o mais importante, todos conhecerem as regras do jogo (“it’s easy when you know the rules”) , desta forma todos estão aptos e podem jogar o jogo (“Everybody Play the Game”).
visao-dashboard-gamification

Visão parcial de um Dashboard de Competições (Gamification) de nossa plataforma de EAD

 
Ao final, o resultado é claro, a instituição conhece quem pode ser premiado.  Com os melhores colaboradores, ações lúdicas podem ser utilizadas nas próximas etapas. Os que desempenharam papel inferior, podem refazer etapas até alcançarem pontuação para avançarem nas competições.
Saiba como premiar ações do mundo real no mundo virtual, entre em contato como o Medportal Soluções Educacionais implementa o gamification.
Grande abraço, vida longa & próspera e até o próximo artigo.

Medportal Revoluciona Treinamentos em Instituições de Saúde

Já imaginou treinar e reciclar todo o seu corpo de profissionais em ambiente virtual de aprendizagem personalizado, em grande escala e a custo acessível? Na sua plataforma de EAD será possível utilizar múltiplos conteúdos de maneira simples e intuitiva.
Desenvolvemos esta exclusiva tecnologia para Treinar, Avaliar e Certificar  profissionais em instituições de saúde e fortalecer 3 grandes pilares que ajudam a manter a excelência em qualidade das instituições. Resolvi compartilhar um pouco mais sobre os 3 pilares a seguir:
 

Qualificação


Qualifique todos os seus colaboradores em escala com mais facilidade e diminua os custos com a implementação da plataforma online. Uma pesquisa feita pelo Credit Suisse aponta que os treinamentos em EAD possuem, em média, preços 50% mais baratos que àqueles presenciais, uma vez que não contemplam gastos com infraestrutura física, alimentação e transportes.
 

Acompanhamento


Aplique avaliações de forma automática e transforme processos e ações em jogos de desempenho, envolvendo todas as suas equipes. Acompanhe de forma simples e em tempo real o desempenho de cada um dos colaboradores através de nossa plataforma online.
 

Planejamento


Tenha o registro de todos os passos de cada um dos colaboradores, analise o desempenho de cada profissional/equipe e crie um planejamento para focar nos seus pontos mais vulneráveis. Saiba quais setores mais necessitam de investimentos em treinamentos e tenha todos os resultados dos esforços e recursos aplicados em registros internos.

Como estão os 3 pilares de sua instituição?

 
banner-rodape

Medportal e CBA ampliam parceria tecnológica!

A estratégia de geração, organização e disponibilização de conteúdo na Web sobre Acreditação Internacional ganhou recentemente um novo capítulo. O Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), representante no Brasil da maior acreditadora de instituições de saúde do mundo – Joint Commission International (JCI), ampliou junto ao Medportal – Soluções Educacionais a sua estrutura tecnológica para cursos e treinamentos a distância.
Desde o final de 2013 já era possível ter acesso ao conteúdo do CBA no Medportal – Leia mais – e em 2015 o CBA optou por adquirir a solução educacional completa do Medportal. Ou seja, o CBA agora conta com a plataforma de EAD customizada, além dos módulos para Avaliação de Alunos, Gestão Educacional e Biblioteca de Cursos.
A ampliação da estratégia de treinamentos do CBA foi lançada no III Congresso Internacional de Acreditação CBA em Setembro de 2015 e apresentada pelos técnicos do Medportal ao público presente – Leia mais.
Parabéns CBA! Agradecemos a confiança e ratificamos o nosso orgulho em apoiar tão relevante instituição!
Conheça o Medportal – Soluções Educacionais para Treinar, Avaliar e Certificar profissionais de saúde em instituições ligadas ao setor!
 

Medportal é entrevistado pelo EmpreenderSaúde!

Olá amigos do Medportal!

Nesta última sexta, dia 14/03/2014 sócios do Medportal foram entrevistados pelo EmprenderSaúde (ES). Esta conversa bastante interessante sobre atividades e desafios da empresa e da educação médica no país foi conduzida por Fernando Cembranelli (ES) diretamente dos Estados Unidos e envolveu Thiago Constancio e Vinícius Oliveira, ambos sócios do Medportal.

Criado por médicos em 2010, o Empreender Saúde busca fomentar e apoiar o empreendedorismo e a inovação em saúde, no Brasil e Exterior. Desde então, já realizou dezenas de eventos de empreendedorismo e inovação em saúde em universidades como USP, FGV, UNIFESP, FEI e empresas.

Veja aqui a entrevista !

 

Medportal

O melhor ambiente online para ensinar e aprender medicina e saúde.
Educação Médica a Distância – Cursos e Aulas Online de Medicina e Saúde.
Retorno profissional, financeiro e pessoal para os professores. Para os alunos, as melhores aulas de medicina na internet !

 

Conheça nossos cursos 100% online:

Curso Online de Terapia Intensiva 2012/2013 – Equipe CTI CSSJ

Este curso é realizado anualmente, organizado e desenvolvido pela equipe da Terapia Intensiva da Casa de Saúde São José (CSSJ) no Rio de Janeiro, um CTI de alta complexidade e com excelência reconhecida nacionalmente (30 leitos no CTI adulto e 20 leitos na Unidade Semi-Intensiva e USIPO).

Curso de Eletrocardiograma – Prof. Ademir Batista da Cunha

O Eletrocardiograma é pré-requisito básico para o atendimento em emergências e nesse sentido ultrapassa as fronteiras da Cardiologia constituindo-se em um exame de domínio médico extensivo a todas as especialidades que dão suporte às nossas emergências.

Medportal e Rede D´Or São Luiz se unem para Conteúdo Online!


Instituto D´or São Luiz

 

Medportal tem a satisfação de informar aos seus alunos e amigos que acaba de celebrar parceria exclusiva com o Instituto D´Or de Pesquisa e Ensino, braço científico da Rede D´Or São Luiz para disponibilização ONLINE de conteúdo de alto nível em Medicina e Saúde.

Esta grande conquista irá qualificar ainda mais o conjunto do conteúdo oferecido pelo Medportal aos profissionais de saúde de nosso país, contribuindo, assim, para a melhoria da assistência oferecida aos nossos pacientes.

Atualmente o Medportal tem alunos em todos os estados do país em em mais 9 países!  Pelo Smartphone, tablet ou PC, temos sempre um novo curso online de Medicina e Saúde pra você!

 

A Rede D’Or São Luiz

A Rede D’Or São Luiz é hoje a maior operadora independente de hospitais do Brasil com presença no Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal e Pernambuco. Fundada em 1977 com a abertura da primeira unidade Cardiolab do Grupo Labs, a Rede D’Or São Luiz continua com a sua estratégia de expansão. Em 2012 adquiriu os hospitais Santa Luzia e Coração do Brasil, em Brasília, e no estado de São Paulo, assumiu o controle dos Hospitais viValle, em São José dos Campos, do Hospital Nossa Senhora de Lourdes e do Hospital da Criança.

A rede hospitalar soma mais de quatro mil leitos, 25 mil funcionários e são realizados em torno de cinco milhões de atendimentos por ano. O grupo opera com 24 hospitais próprios ou em parcerias, além de um hospital sob gestão e quatro em fase de construção.

 

O Instituto D´Or de Pesquisa e Ensino

O Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino é uma organização sem fins lucrativos que tem como objetivo estimular a pesquisa científica e contribuir para uma formação diferenciada de profissionais na área biomédica e pesquisa.

O Instituto D’Or conta com a dedicação de pesquisadores e pessoal de suporte altamente especializados, assim como a parceria com os hospitais e unidades da Rede Labs D’Or.

O Instituto mantém fortes laços de cooperação científica com diversas universidades e centros de pesquisa nacionais e internacionais, como a UFRJ, UERJ, EMBRAPA, National Institutes of Health (EUA), Manchester University (Inglaterra), Stanford University (EUA), CNRS (França), e outros.

Fonte: Site Rede D´Or São Luiz

 

Conteúdo de excelência 100% online

Serão lançados ao longo de 2014 cursos, eventos, simpósios e a tradicional Jornada Científica da Rede.

Iniciamos esta importante parceria com o lançamento ONLINE do XII Simpósio Internacional de Ventilação Mecânica da Rede D´Or São Luiz. Este evento científico de alto nível foi organizado pelo Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR) e realizado pela Rede D’Or São Luiz, com a parceria científica da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ.

 

INSCREVA-SE AGORA NO SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE VENTILAÇÃO MECÂNICA

Este simpósio ocorreu nos dias 5 e 6 de julho de 2013, no Hotel Rio Othon Palace, no Rio de Janeiro.

O evento contou com reconhecidos palestrantes nacionais e internacionais e exposição de temas importantes sobre a Terapia Intensiva, fundamentalmente na Ventilação Mecânica e suas repercussões no cuidados aos pacientes em estado grave.

Inscreva-se agora e tenha acesso online ao conteúdo desse excelente evento, exclusivo no Medportal!


Temas Gerais:

  1. Síndrome do desconforto respiratório agudo
  2. Ventilação protetora
  3. Treinamento muscular
  4. Modos ventilatórios avançados
  5. ECMO


Organizadores:

Dr. Felipe Saddy – Hospital Copa D’Or, Laboratório de Investigação Pulmonar, IBCCF, UFRJ, Hospital Pró Cardíaco.
Dr. Patricia R.M. Rocco – Professora Titular, Chefe do Laboratório de Investigação Pulmonar, IBCCF, UFRJ.

 

 

Cooperativa médica busca Acreditação

– Com 41 anos de história, cerca de 1 milhão de clientes, mais de 5.460 médicos  cooperados em quase 50 especialidades, cerca de 3.400 colaboradores, 390 recursos credenciados e 92 hospitais credenciados, a Unimed-Rio está em busca da acreditação. Para se adequar aos padrões de qualidade previstos na RN 277/11 da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a Unimed-Rio buscou a orientação do Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA).

Cláudia Garrido, Gerente da Qualidade da cooperativa médica, é quem dá mais informações sobre a caminhada rumo à acreditação.

CBA – O que levou à direção da Unimed-Rio a buscar a acreditação para operadora de planos de saúde (OPS)?

Cláudia Garrido – Apesar de a acreditação não ser obrigatória para as operadoras, apenas voluntária, acreditamos que é um processo cada vez mais reconhecido pelo mercado e fundamental para a profissionalização do segmento de saúde. A Unimed-Rio está bem estruturada e adequada a altos padrões de qualidade e uma certificação de acreditação atesta esta percepção. Um dado importante é a diferenciação que a acreditação pode trazer. Quando a Unimed-Rio for certificada, damos ao mercado uma mensagem clara de eficiência e excelência.

CBA – Por que a direção procurou o CBA ao invés de outras acreditadoras existentes no mercado?

C.G. – Como  líderes de mercado do Rio de Janeiro, buscamos sempre adotar as melhores práticas. Aplicamos nosso processo de escolha de fornecedor, via RFP (Request for Proposal), para as principais consultorias de educação em acreditação e o CBA foi a que melhor se adequou às nossas expectativas. Outro fato, é que a única operadora que tinha obtido a certificação, a Bradesco Saúde, utilizou o CBA como órgão acreditador, o que também pesou na escolha final.

CBA – Qual o balanço que a Unimed-Rio faz da avaliação diagnóstica feita pela equipe do CBA?

C.G. – A Unimed-Rio passou por uma avaliação diagnóstica em setembro e a experiência foi bastante enriquecedora, pois nos possibilitou identificar nossos gaps de aderência aos requisitos da acreditação para que possamos evoluir rumo à certificação.

CBA – Quais padrões e processos já implementados pela Unimed-Rio que vão ao encontro do que é preconizado pela metodologia de acreditação?

C.G. – Processos com qualidade mensurada e atestada por nossos clientes já eram uma busca constante da Unimed-Rio. Temos que evoluir nos processos de relacionamento com nossos fornecedores e prestadores de serviços. Identificamos que adotamos no dia a dia várias das práticas preconizadas pelo processo de acreditação. Agora, precisamos registrar esses processos em documentos e ampliar o conhecimento sobre eles em toda a organização.

CBA – Em muitas instituições, a acreditação enfrenta resistências por parte dos colaboradores inicialmente. Como a Unimed-Rio trabalha internamente com seus colaboradores à cultura de acreditação?

C.G. – O envolvimento da Alta Gestão é fundamental para que o projeto tenha legitimidade. Palestras de conscientização e disseminação de conceitos para as equipes, além de ações motivacionais em todas as áreas e ainda, uma comunicação interna bastante atuante junto aos públicos faz com que possíveis resistências sejam trabalhadas.

CBA – Como padronizar qualitativamente os serviços com prestadores tão diferenciados (colaboradores, prestadores de serviços e terceirizados)?

C.G. – Controlando a operação com indicadores de performance adequados para cada tipo de serviço (KPI´s) .

CBA – Em termo de comunicação, como a Unimed-Rio vem trabalhando a informação da melhoria da qualidade com o seu público, seu beneficiário?

C.G. – O site da Unimed-Rio é atualizado diariamente com informações relevantes para os nossos clientes, sempre disponibilizando as melhores soluções para produtos e serviços. Dispomos ainda de ferramentas como newsletters mensais, tanto para a base de clientes Pessoa Física como para os clientes Pessoa Jurídica, além de pontos presenciais de atendimento na cidade do Rio de Janeiro e um call center 24 horas em todos os dias da semana. As equipes de atendimento da Unimed-Rio recebem treinamento constante, tanto em aspectos técnicos como comportamentais.

CBA – O processo de preparação para acreditação, já sinalizou mudanças de processos para melhoria da qualidade?

C.G. – De forma direta, foram alterados alguns processos operacionais, documentações foram revisadas em toda a empresa, grupos de trabalho foram criados para discussão dos itens avaliativos, com a participação e patrocínio da Alta Gestão.

CBA – Em termos mercadológicos, quais benefícios que a acreditação poderá trazer para a operadora?

Entendemos que ser certificado é um diferencial no mercado, mas melhor que isso, transmite credibilidade para os clientes, cooperados e prestadores de  serviços. Também não podemos deixar de destacar a preocupação com a melhoria da prestação e qualidade de seus serviços continuadamente, além da eficiência e eficácia dos seus processos de gestão.

 

Fonte: Consórcio Brasileiro de Acreditação

Medportal
O melhor ambiente online para ensinar e aprender medicina.
Educação Médica a DistânciaCursos e Aulas Online de Medicina e Saúde.
Retorno profissional, financeiro e pessoal para os professores. Para os alunos, as melhores aulas na internet !

 

CBA/JCI ACREDITAÇÃO INTERNACIONAL EM INSTITUIÇÕES DE SAÚDE

Objetivos: Introduzir o conhecimento sobre a metodologia desenvolvida pela Joint Commission International (JCI), aplicada no Brasil pelo Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), com ênfase nos processos de educação e acreditação e com destaque para o manual e os padrões aplicáveis para instituições de saúde hospitalar.

Público Alvo: Gestores e Profissionais de Saúde com interesse nas áreas de gestão da qualidade e segurança em saúde e melhoria de processos assistenciais em geral.

 

CBA/JCI ACREDITAÇÃO EM OPERADORAS DE SAÚDE

Objetivos: Introduzir o conhecimento sobre as metodologias desenvolvidas pelo Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), com ênfase nos processos de educação e acreditação e com destaque para o manual e os itens avaliativos definidos pela RN 277/2011 da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Público Alvo: Gestores e Profissionais com interesse nas áreas de gestão da qualidade e segurança em saúde e melhoria de processos de Operadoras de Planos de Saúde.

Cursos do CBA agora também são oferecidos à distância

O Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA) acaba de fechar uma parceria com o Medportal para divulgação de cursos online desenvolvidos pelo CBA. Dois cursos estão sendo oferecidos atualmente: Introdução para Acreditação de Operadoras de Planos de Saúde, pela metodologia com padrões internacionais de acreditação para operadoras de planos de saúde e com padrões da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), e Introdução para Acreditação Internacional de Instituições de Saúde, pela metodologia da JCI. Mais quatro cursos estarão à disposição até março de 2014.

Thiago Constancio, Sócio-Diretor de Conteúdo do Medportal, site de educação continuada e atualização na área de saúde, garante que o acesso ao portal é fácil e seguro: “Investimos fortemente na área de e-commerce, segurança, produção e tecnologia de Educação à Distância”. Para Heleno Costa Júnior, Coordenador de Educação do CBA, a plataforma web proporciona maior comodidade e facilidade no acesso ao conteúdo educativo desenvolvido pelo CBA, que passa a ser disponibilizado para todo o Brasil e outros países.

Outra vantagem para quem adquire o curso online é que, além da permissão de acesso em PC, notebook, tablet ou celular, é possível acessar o conteúdo em qualquer horário e quantas vezes achar necessário dentro de um período de 30 dias, após a compra do curso escolhido.

A forma de pagamento também é um diferencial do Medportal. “Os cursos podem ser comprados via cartão de crédito ou por boleto bancário, podendo ainda ser parcelado”, informa Constancio, ressaltando que há preço especial para mais de dez matrículas de uma mesma instituição de saúde.

Os dois cursos ofertados inicialmente são divididos em cinco vídeos-aula, com carga-horário total de 12 horas. No ambiente virtual, o aluno também pode participar de um fórum virtual, onde pode esclarecer dúvidas diretamente com o professor responsável pelo curso. O certificado também é disponível de forma online para impressão após o cumprimento de, no mínimo, 70% da programação do curso.

Para saber mais informações acesse http://www.medportal.com.br/cursos/acreditacao-internacional.

 

Educação à Distância

A oferta de cursos de EAD já é comum nos Estados Unidos, onde representam 30% das matrículas dos cursos superiores. No Brasil, esse índice corresponde a 13%, segundo informações do Medportal, que cresceu mais de 300% no último ano. De acordo com o Diretor de Conteúdo do portal de educação, “o apetite pelo conteúdo educacional online vêm crescendo como consequência natural da adequação do ensino a nova realidade de tempo e dinheiro da população, considerando que cursos à distância têm, em média, preços 45% menores em relação àqueles presenciais”.

Fonte: Consórcio Brasileiro de Acreditação

Medportal
O melhor ambiente online para ensinar e aprender medicina.
Educação Médica a DistânciaCursos e Aulas Online de Medicina e Saúde.
Retorno profissional, financeiro e pessoal para os professores. Para os alunos, as melhores aulas na internet !

 

CBA/JCI ACREDITAÇÃO INTERNACIONAL EM INSTITUIÇÕES DE SAÚDE

Objetivos: Introduzir o conhecimento sobre a metodologia desenvolvida pela Joint Commission International (JCI), aplicada no Brasil pelo Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), com ênfase nos processos de educação e acreditação e com destaque para o manual e os padrões aplicáveis para instituições de saúde hospitalar.

Público Alvo: Gestores e Profissionais de Saúde com interesse nas áreas de gestão da qualidade e segurança em saúde e melhoria de processos assistenciais em geral.

 

CBA/JCI ACREDITAÇÃO EM OPERADORAS DE SAÚDE

Objetivos: Introduzir o conhecimento sobre as metodologias desenvolvidas pelo Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), com ênfase nos processos de educação e acreditação e com destaque para o manual e os itens avaliativos definidos pela RN 277/2011 da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Público Alvo: Gestores e Profissionais com interesse nas áreas de gestão da qualidade e segurança em saúde e melhoria de processos de Operadoras de Planos de Saúde.