Gargalos em educação e desperdício em saúde foram temas dos últimos Interact

Mais dois assuntos de extrema relevância para toda área da saúde foram apresentados nos últimos webinars do Interact Healthcare Education Program, iniciativa do Medportal que reúne grandes players para o debate, troca de ideias e soluções para o setor.

No primeiro encontro, a pauta girou em torno da “Empregabilidade e impacto econômico na saúde pela educação” – com participação do Dr. Alexandre Ísola, gerente do departamento de Educação Continuada do Imed Group Brasil; e do Dr. Caio Nunes, Business Development e Cofounder da Sanar.

Por sua vez, a segunda reunião abordou “As maiores causas de desperdício no ambiente hospitalar” – com presença do Dr. Welfane Cordeiro Júnior, consultor de fluxos hospitalares e sistemas de saúde; Dr. André Wajner, MD, MSc, PhD, FHM e CEO do Eficiência Hospitalista; e mediação de Ivana Siqueira, consultora em Gestão e Educação na Saúde.

“O Interact é palco ideal para contribuirmos com pautas necessárias para o mercado da saúde, unindo players e promovendo a interação entre várias pontas do mercado”, observou Thiago Constancio, CEO do Medportal e anfitrião dos dois encontros.

Educação e empregabilidade
O CEO do Medportal deu início à conversa de abril com dados desafiadores. De acordo com ele, durante um dos webinars da Associação Nacional dos Hospitais Privados (Anahp), 97% dos participantes apontaram que estamos passando por uma crise na formação profissional.

Foi solicitado ainda que o público apontasse onde se concentravam os principais desafios relativos a esse tema: incentivo e reconhecimento ao profissional de saúde? Distribuição desigual da força de trabalho no país? Saúde mental dos profissionais? “Ao todo, 74% dos participantes marcaram a opção: todas as anteriores”, disse Constancio.

Segundo Ísola, há uma quantidade muito grande de médicos no mercado e nunca houve uma discussão sobre os mecanismos ideais de educação suplementar após a graduação – uma vez que as oportunidades nas residências são poucas e de longa duração.

O caminho, acredita ele, são cursos menores, mais dedicados à atualização do que à formação. “É preciso oferecer aos colegas possibilidades de atualização e capacitação que, ao mesmo tempo, estejam alinhadas às necessidades organizacionais nossas e de nossos clientes”, afirmou o gerente do Imed Group Brasil.

Já Nunes lembrou que não há soluções mágicas, de curto prazo. “As empresas concordam que a educação é uma ferramenta poderosa, de muito valor, mas enquanto organização elas têm dificuldade de apresentar isso aos stakeholders. O defensor da educação não pode estar sozinho e ser considerado como o que gasta – e não como o que investe dinheiro.”

Outro ponto é a dificuldade em criar os indicadores certos para mostrar que as técnicas de educação estão, de fato, dando resultado. “É preciso criatividade para se chegar aos indicadores corretos, capazes de revelar as melhorias promovidas pelo ensino. Assim, é possível comparar o investimento com o benefício”, disse o Cofounder da Sanar.

Desperdício em saúde: causas, efeitos e enfrentamento
O bate-papo de maio de certa forma dá continuidade ao anterior, uma vez que profissionais devidamente capacitados impactam diretamente no bom aproveitamento do tempo e de recursos.

Assim, Ivana apresentou números de levantamento feito na base de dados da plataforma Valor Saúde Brasil, da DRG Brasil e IAG Saúde, com 340 hospitais, que atendem juntos 1,6 milhão de vidas, tanto no SUS quanto na saúde complementar.

Ao todo, 53% dos custos assistenciais foram consumidos por desperdícios causados por falhas na entrega de valor. “Se isso fosse corrigido, poderíamos fazer 2,16 milhões de atendimentos a mais, beneficiando 6,25 milhões de brasileiros”, frisou a consultora.

Os participantes foram unânimes em constatar que um dos maiores gargalos hospitalares está no tempo de permanência dos pacientes nos hospitais, em especial na internação – segundo eles, em boa parte acima do necessário.

Para reestruturar isso, é necessário um processo em várias frentes, que passam pela eficiência alocativa, pelo modelo de pagamento e, acima de tudo, pelo foco na entrega de valor ao paciente.

“A tendência do gestor é sempre pedir mais: vai-se aumentando a demanda por pessoas e recursos, porém, isso vai cada vez mais ampliando os custos. Um dos pontos para sanar isso é o modelo de pagamento, que precisa incentivar a eficiência”, argumentou Junior.

Wajner afirma que o problema não é dinheiro: a alocação dos recursos é mal utilizada, muitas vezes sem focar no cuidado essencial: o paciente. “A jornada do paciente deve orientar as medidas de eficiência. Ninguém quer ficar no hospital, as pessoas desejam ter alta o quanto antes. Isso, quando bem-feito, melhora os custos da instituição, reduz os riscos ao paciente e, em larga escala, beneficia toda cadeia da saúde.”

Mais uma iniciativa do Interact acontece ainda em maio: nesta quinta-feira, dia 26 de maio, às 19h, teremos o webinar “Inovações em Cardiologia: o que muda na prática clínica?“. Você pode acompanhar gratuitamente, basta fazer a sua inscrição aqui.

Soluções Medportal
Fomentar o debate contínuo de desafios pertinentes ao setor é o objetivo do conjunto de ações do Interact. Além disso, visamos criar o link entre os assuntos debatidos e as soluções em ensino à distância da plataforma do Medportal.

Nossos serviços alcançam mais de 300 instituições de saúde e superam os 400 mil profissionais beneficiados. Por meio desse robusto ecossistema, contribuímos para a expansão da educação corporativa em saúde no País e em auxiliar que desafios como esses dos gargalos educacionais e de desperdício nas instituições sejam minimizados.

Afinal, longe de se configurar como custo, a capacitação e o aprimoramento contínuos apresenta-se como a solução para muitos de nossos problemas diários.

Contato
O Medportal está sempre disposto a atender suas necessidades, saber suas dúvidas, críticas e sugestões. Por isso, sinta-se à vontade sempre e entre em contato.

Primeiro webinar do Interact debate a jornada cirúrgica do paciente como entrega de valor em saúde

A análise da jornada cirúrgica do paciente como entrega de valor em saúde. Esse foi o tema do primeiro webinar do Interact – Healthcare Educational Program, realizado pelo Medportal no dia 7 de abril. As contribuições da tecnologia nesse percurso, qual valor está no centro do cuidado cirúrgico, quais os reais protagonistas dessa jornada e de que maneira melhorar os processos foram alguns dos pontos debatidos.

Além do CEO do Medportal, Thiago Constancio, e do Head de Relações Institucionais do Medportal, Marcio Sanches, o encontro contou com a participação do professor, médico e diretor-técnico da Qualimed, Dr. Leonardo Carap; e do médico anestesiologista, sócio-fundador e CEO da Anestech Innovation Rising, Dr. Diogenes Silva.

Protagonismo

Durante o evento, todos foram unânimes em dizer que o paciente deve estar no centro da entrega de valor. “O paciente deve ser o protagonista de todo processo. Por isso, as instituições devem alinhar suas necessidades particulares às de quem ela atende, uma suplementando a outra”, observou o professor Carap.

E o que o paciente considera valor em um centro cirúrgico? Silva resumiu bem: “basicamente, na mesa de cirurgia, o paciente enxerga valor no seguinte: não quero ver nada, não quero sentir nada, quero ter meu problema resolvido e voltar para casa o mais rápido possível.”

O CEO do Medportal reforçou o debate ao lembrar que não há excelência na jornada se não dominamos com profundidade o que estamos fazendo e o que geramos como produto. Para isso, o caminho são os dados. “Se você não mede, você não fica sabendo e, portanto, não gerencia”, apontou o CEO da Anestech.

Dados

O raciocínio de Silva segue um passo a passo simples de entender. “Os dados precisam ser coletados, pois eles geram indicadores, que por sua vez certificam o nível de qualidade, que promovem a performance, que, por fim, entregam valor. E valor para o paciente, acima de tudo.”

Ele lembra que os hospitais são ambientes onde muitos dados são produzidos. Entretanto, a gestão simplesmente não olha para eles. A fim de exemplificar isso, Silva citou uma pesquisa feita na base de dados da Anestech sobre a pontualidade das cirurgias entre 1º de janeiro e 7 de abril deste ano, data do webinar: somente 55% delas começam no horário marcado. “Isso gera descontentamento em todo mundo e não agrega valor a ninguém.”

Os dados apresentados foram reforçados com a experiência do professor Carap, que sentenciou: “os hospitais têm uma dificuldade enorme de distribuir as tarefas e funções no tempo.” Segundo ele, o problema é um só: cultural. Questão detalhada por Silva: “a tecnologia disponível cresce exponencialmente, mas a cultura não acompanha no mesmo sincronismo e esbarra em camadas de pequenos poderes dentro da estrutura do hospital.”

Lideranças

Por isso, para mudar a cultura das instituições, é preciso primeiro cuidar do desenvolvimento das lideranças. “Assim, conseguimos incorporar os dados na geração de argumentos e de valor. Sem a conscientização das lideranças, fica difícil demais trazer isso para a mudança de processos”, observou o gestor do Interact.

Outro ponto precisa ser observado: a migração de lideranças, com o poder em algumas instituições de saúde já saindo das mãos daqueles que tradicionalmente o ocuparam – os médicos – e passando para especialistas em gestão e tecnologia da informação. “O impacto cultural disso é gigantesco e essa fase de transição é a mais dolorosa. Porém, tudo aquilo que nos assusta também é uma oportunidade maravilhosa de gerar mudança, de fazer diferente e melhor. Utilizar os dados na gestão lhe dá poder; com eles, você negocia, senão, acaba sendo negociado”, argumentou Silva.

Você pode conferir o webinar em nosso canal do youtube, aqui.

O Interact

O Interact – Healthcare Education Program do Medportal é justamente uma alternativa para ampliar ainda mais a interação e o compartilhamento de conhecimento entre clientes e parceiros do nosso ecossistema.

Ao longo de todo ano, iremos promover ações para debater os mais importantes temas da saúde, com grandes players e influenciadores do setor – sempre com o viés educacional permeando as discussões.

Contato

Quer saber mais sobre nossas iniciativas de educação para lideranças? Sinta-se em casa e entre em contato.

Medportal apresenta o Interact – Healthcare Education Program 2022

O Medportal apresentou no dia 15 de março, durante o primeiro Café da Manhã da ANAHP deste ano, o Interact – Healthcare Education Program 2022. A iniciativa une as atividades síncronas e complementares já existentes com novas ações – tudo para ampliar mais ainda a interação e o compartilhamento de conhecimento e experiências entre os clientes e parceiros do nosso ecossistema.

“Nossos serviços alcançam mais de 300 instituições de saúde e mais de 400 mil profissionais. Com o Interact, queremos entregar ainda mais valor para este público, promovendo a interação entre várias pontas do mercado”, explicou o CEO do Medportal, Thiago Constancio.

Boa parte das ações ofertadas serão gratuitas e contará com a participação de vários âncoras do setor da saúde. O objetivo é disseminar e facilitar ainda mais o acesso ao conhecimento e à informação de qualidade, com conteúdos que englobam tanto aspectos assistenciais, como gerenciais – todos eles abordados com ética e transparência.

Iniciativas

As ações que compõem o Interact são:

. Medportal Academy e Blog Medportal: ambiente digital de grande visibilidade para a publicação de conteúdo produzido ou patrocinado por sua empresa. Sempre com orientação e suporte de nossa equipe especializada em comunicação para a saúde.

. Medportal Experience: este ano, as atividades do Medportal Experience voltam a ser presenciais e, como sempre, contarão com a participação de lideranças e palestrantes de grande influência no setor, nacional e internacionalmente.

. Webseries Medportal: como o próprio nome especifica, eventos online que também contam com a participação de importantes formadores de opinião em saúde. As atividades podem ser acompanhadas de maneira síncrona ou assíncrona e permitem também que nossos parceiros criem seus próprios conteúdos.

. Medportal Training Room: recurso online que simula ambientes realistas, criados para a promoção de cursos, qualificações, certificações, além de treinamentos profissionais e comportamentais. Perfeito para estreitar os laços com outros players do mercado.

. Programa Internacional de Educação Digital: parceria do Medportal com a Dignity Health Global Education (DHGE) que traz cursos online de universidades altamente renomadas dos Estados Unidos ao público brasileiro.

Depoimentos

A apresentação do Interact contou com a presença de alguns dos mais renomados nomes do setor da saúde no país. A seu tempo, cada um deles também vai participar de ações dentro do programa.

“Precisamos de sistemas mais integrados e eficientes, que coloquem o paciente no centro do cuidado. Para isso, é preciso que os profissionais de saúde tenham as competências necessárias a fim de desempenharem adequadamente suas funções. Vivemos em um mundo com excesso de dados e informações, e um dos desafios atuais é refletirmos o quanto e como estamos usando tudo isso”, discursou a CEO do Grupo Sabin, Lídia Abdalla.

Já o professor e cardiologista Dr. Evandro Tinoco frisou a importância da curadoria de conhecimento. “Hoje em dia, há muita fake news, pirotecnia, informação sem qualidade e entretenimento em saúde. Os profissionais sentem-se precarizados e perdidos, os gestores também estão sofrendo. Por isso, é preciso comunicar bem, construir conteúdo de qualidade para retermos os melhores profissionais. Nanocursos, mentorias, atividades de networking e conhecimento em pílulas são fundamentais para isso.”

Por chamada de vídeo, o cofundador e diretor científico da Epimed Solutions, Jorge Salluh, ressaltou que não é possível criar um sistema de saúde mais resiliente sem dados e evidências. “É preciso olhar para os processos. Quanto mais protocolos implementáveis, multidisciplinares, manejados por toda equipe e que chegarem à ‘beira-leito’, menor é a mortalidade. As lacunas que ainda existem precisam ser supridas pela educação e eventos como este servem como ponte.”

A explanação final ficou a cargo do superintendente corporativo e CEO do HCor, fundador da ONG Voluntários da Saúde e mentor da SHS Health Tech, Fernando Torelly. “O conhecimento precisa ser democratizado e levado a lugares que sequer imaginamos que pode alcançar. Nossas instituições melhoram quando ganham eficiência. Para isso, é preciso o compartilhamento constante de experiências em oportunidades como essa.”

O Café da Manhã da ANAHP teve como tema “Como gerar informação e conhecimento de impacto para o desenvolvimento de líderes e profissionais de saúde?”

Contato

Quer saber mais sobre o Interact? Aqui em nosso site você encontra material sobre o assunto. Se ficou alguma dúvida ou vontade de fazer críticas, sugestões ou qualquer outro comentário, entre em contato.

Como promover a inclusão no ensino à distância

Inclusão é tema obrigatório para quem trabalha na área da saúde e na produção de conteúdo de educação continuada. No Medportal, atuamos e unimos ambas as frentes; por isso, tornar nosso material cada vez mais plural e acessível aos mais diversos públicos é um cuidado constante.

A saúde é um dos mais diversos segmentos da atividade humana. Pelos corredores dos hospitais, é possível encontrar gente de todos os perfis, tons de pele, orientação sexual, graus de instrução, aparência física, origem geográfica etc.

Como comunicar de maneira adequada e respeitosa para todo esse público por meio de um conteúdo acessado à distância? Mais uma vez, a tecnologia surge trazendo a resposta.

Medidas

“A educação continuada e à distância trabalha com turmas e setores diferentes, com conteúdos específicos para cada especialidade. Além disso, cada instituição pode demandar a necessidade de um tipo diferente de material inclusivo. Por isso, pensar nessa variedade desde o início é fundamental”, argumenta a Customer Insights do Medportal, Lindsay Capelli.

Os recursos tecnológicos conseguem atender logo de início algumas dessas necessidades, tornando o conteúdo mais abrangente. Assim, adote vídeos legendados, imagens com descrição e procure disponibilizar as aulas também em áudio.

Tão importante quanto a adoção de todas essas ferramentas é a diversificação do conteúdo. Dessa maneira, por exemplo, busque diferentes biotipos humanos nas imagens utilizadas nas aulas – o que reflete a realidade brasileira, tão plural.

Ferramentas dinâmicas, que permitem a absorção de conteúdo de diversas maneiras, também deixam o aprendizado mais acessível. Técnicas de gamificação são ótimas para isso, pois ensinam por meio do lúdico.

Emoções

Materiais inclusivos também aumentam a chance de se mexer com o lado emocional do ensino, considerado cada vez mais fundamental para a retenção de conteúdo e, por consequência, promoção do verdadeiro aprendizado.

Por isso, o conteúdo não pode ser somente técnico. É preciso gerar memórias afetivas, proporcionar algum gatilho para que o aluno assimile o que é explicado não somente pelo esforço da razão, mas também pelo “coração”. 

Uma aula narrada com um sotaque próprio da região dos usuários, por exemplo, pode aumentar a receptividade de todo material.

Na prática

Recomendamos que desde o início o material já seja produzido com recursos inclusivos.

“Quanto mais recursos forem utilizados ao se produzir um conteúdo em educação à distância, melhor. Assim, as chances de todos os públicos serem contemplados aumentam”, observa Lindsay.

Assim, pense nas medidas inclusivas desde o início, na estruturação do roteiro de cada conteúdo. Em seguida, é possível expandir a abordagem por meio de recursos audiovisuais complementares, materiais por escrito, atividades de fixação, avaliação e indicação de outros materiais. A experiência fica muito mais ampla e diversificada.

Nada impede, entretanto, que conteúdos antigos sejam adaptados. É possível reinventá-los, dando-lhes mais significado, abrangência e interatividade.

Aqui no Medportal estamos nos dedicando a legendar nossos vídeos. Ao todo, 40 deles já receberam este recurso. Assim, por exemplo, é possível estudar em um ambiente que requer silêncio. Pessoas com limitações auditivas também aproveitam melhor o conteúdo.

Além disso, os vídeos podem ser reeditados, imagens podem ganhar legendas descritivas e os conteúdos podem ser atualizados com exemplos mais diversos, apresentados por professores de regiões diferentes, ou com narradores, o importante é diversificar sotaques a fim de tornar o conteúdo o mais próximo possível da audiência, a ponto de criar um vínculo pessoal e de contexto. As possibilidades são infinitas!

Desafio

Trabalhar com educação à distância é sempre um desafio. Precisamos sempre nos superar para produzir aulas de qualidade, objetivas, capazes de engajar e transferir competência ao aluno.

“Para gerar inclusão, também devemos utilizar ferramentas virtuais ainda mais diversificadas, que possam enriquecer e validar ainda mais os conteúdos. O resultado, porém, é recompensador”, conclui Lindsay.

Contato

Você está querendo adotar práticas inclusivas em seus materiais? Sinta-se em casa e entre em contato conosco. Será um prazer lhe ajudar!

Engajamento, aprendizagem e gamificação na área da Saúde: um caminho desafiador e de conquistas como o do Pac-Man

Intervalo de turno e lá está o colaborador com o celular nas mãos, muitas vezes jogando Candy Crush para desestressar. Outro dia, um deles até se esqueceu de comer porque estava jogando. O cenário é comum não só em hospitais, mas em tantas outras empresas, independentemente de suas áreas de atuação. 

Em Saúde não é diferente. Onde há ser humano, há mentes que precisam desanuviar para depois se concentrar novamente, como ocorria no célebre Pac-Man e nos tantos jogos digitais que existem atualmente. E com tantos recursos disponíveis, conseguir engajamento de seus colaboradores num processo de aprendizagem contínua se torna um desafio. 

A gamificação, contudo, pode ser a ferramenta adequada para resolver esse imbróglio, justamente porque tem a missão de tornar a aprendizagem envolvente por meio do entrelaçamento cuidadoso da mecânica, da dinâmica e de elementos do jogo no design instrucional. O processo deve ser sistemático e deliberado, onde o interlocutor não é passivo, mas participa de todas as etapas.

Experiências de aprendizagem gamificadas

Quando uma empresa decide aderir à gamificação, precisa estar atenta a alguns detalhes importantes. Por exemplo, existe uma diferença entre plataforma de aprendizagem gamificada e experiências de aprendizagem gamificadas.

Especialista no assunto, Felipe Vila, fundador da Vila dos Games, explicou esses conceitos durante sua apresentação no Programa de Certificação Healthcare E-Leadership, e inspirou a produção deste artigo.

De acordo com o especialista, plataformas podem ter características de um jogo, inclusive em alguns casos com a aparência de um jogo, mas não incluem todos os elementos necessários para que se configurem efetivamente como um jogo. Em geral, são trilhas cheias de objetos de aprendizagem em diversos formatos, tais como vídeos, atividades, leituras ou até pequenos jogos organizados numa trilha gamificada. 

Ou seja, uma trilha de aprendizagem digital que tem associados a ela recursos como pontos, placares, avatares etc., mas que não é um jogo exatamente. É, sim, uma trilha que usa elementos de jogos para se tornar mais interessante.

Essa situação é bastante diferente de um jogo em que o colaborador aprende na prática, isto é, seguindo um sistema das regras do jogo como ocorre nos tradicionais Banco Imobiliário, War, Ludo etc.

Ué, então o que são as tais experiências de aprendizagem gamificadas? São aquelas que inserem os colaboradores em um jogo de aprendizagem mesmo, permitindo que – jogando – eles aprofundem o conhecimento sobre determinado assunto.

Conceitos

Segundo Brian Burke, vice-presidente de pesquisa do Grupo Gartner, gamificação é o uso de mecânicas de jogo e design da experiência para engajar e motivar as pessoas a atingirem as suas metas. E esse é um ponto bastante interessante, voltaremos nele logo abaixo. 

Já para Karl Kapp, cofundador da Enterprise Game Stack, gamificação é um recurso de design, uma maneira de projetar o aprendizado para torná-lo envolvente, afinal, o game de aprendizagem tem como propósito gerar memória de aprendizagem efetiva.

O envolvimento que os jogos proporcionam favorece essa aprendizagem, reforçando a frase eternizada pelo filósofo chinês Confúcio: “Conte-me e eu esquecerei. Mostre-me e eu apenas me lembrarei. Envolva-me e eu realmente compreenderei”.

O caminho desafiador e de conquistas

Há dois importantes diferenciais que as empresas devem estar atentas ao colocar em prática experiências de aprendizagem gamificadas: um deles é a conexão com várias partes do cérebro; o outro é o que mencionamos acima sobre motivar o colaborador a atingir suas próprias metas.

Vamos ao primeiro diferencial: estudos apontam que quando se cria experiências imersivas que se conectam com várias partes do cérebro, a chance de gerar memória de longo prazo é muito maior.

Isso significa que os jogos devem ter desafios que estimulam o cérebro com regras, estratégias, movimentação, pressão de tempo, surpresas, conversa, cores e ícones, desafio épico, conversas, entre outros elementos da gamificação.

Vale reforçar, portanto, que a gamificação na aprendizagem pode incluir elementos tão diversos quanto narrativas históricas, design, avatar, personagens, sistema de causa e consequência, sistema de pontuação, equipe competição, cooperação, enfim, recursos do universo dos jogos. 

O segundo diferencial é que a gamificação precisa engajar as pessoas para que possam atingir as suas próprias metas, em outras palavras, incentivá-las a fazer algo que elas já queriam fazer. Ou seja, é preciso encontrar uma conexão entre propósitos pessoais e propósitos organizacionais, sem a qual, a gamificação seria um caminho mais tortuoso.

Então, encontrar um propósito de aprendizagem que atenda a organização, mas também que se conecte com o propósito de aprendizagem e desenvolvimento individual é fundamental para a empresa que quer começar a pensar numa estratégia de gamificação.

Aplicação na Saúde

Todo o processo visto neste artigo é perfeitamente aplicável em hospitais e outras instituições da área da Saúde que reconhecem a educação continuada como um diferencial nos resultados dos serviços prestados aos clientes e pacientes. 

Também é possível gerar engajamento e levantar informações através de jogos com os pacientes. Um caso bastante conhecido nesse sentido é o do Hospital SickKids, em Toronto, que precisava aferir o nível de dor em crianças que passavam por tratamento quimioterápico. 

Parte do processo de tratamento realizado naquela importante instalação de oncologia pediátrica envolvia a manutenção de diários detalhados sobre a dor. Para conseguir essa façanha, o hospital introduziu um jogo na rotina dos pacientes, que ganhou não só a atenção das crianças, mas o destaque nos veículos de comunicação

Com tema de investigação policial e atores famosos de filmes policiais, o Pain Squad Mobile App apresentava alguns mistérios para as crianças desvendarem e, de tempos em tempos, as convidava para relatar como estava o nível de dor. 

O jogo não só tornou mais fácil para os pacientes da SickKids preencherem os diários necessários para o tratamento, como também lhes deu um senso de propósito. Os games, portanto, podem ser utilizados para aprendizagem, mudança de comportamento e sensibilização. 

Formatos

Para terminar, vale uma rápida abordagem sobre os formatos das experiências de aprendizagem gamificadas, que podem ser presenciais ou digitais. Games presenciais proporcionam experiências síncronas, coletivas e que requerem baixa tecnologia. Em geral, são facilitados. 

Já os games digitais são experiências assíncronas, individuais, não facilitadas e que requerem alta tecnologia. Dentro desse formato, contudo, incluem-se os chamados games virtuais, que se configuram como um caminho do meio, possibilitando uma experiência síncrona, coletiva, facilitada e que requer um nível médio de tecnologia. 

Este último formato permite a troca de melhores práticas, diálogo, interação e acolhimento. Já imaginou um jogo de onboarding para receber os novos colaboradores de seu hospital? Seria interessante, não?

Para saber mais sobre gamificação, educação continuada em hospitais ou instituições da área da Saúde, entre em contato conosco.

Educação Digital é tema de evento da Anahp

 
O primeiro Café da Manhã da Anahp em parceria com o Medportal aconteceu no dia 10 de Abril, tendo por objetivo discutir as vantagens e como as plataformas digitais de educação podem impactar o setor da saúde.
Abrindo as discussões de Ensino à distância e de instrumentos tecnológicos, a Anahp anunciou o lançamento de sua plataforma de conteúdo online, Anahp On Demand, onde é possível acompanhar todos os eventos que já aconteceram além, de conteúdos específicos como as tradicionais publicações da Anahp.
O Instituto PEnSI, centro de ensino e pesquisa em saúde da Fundação José Luiz Egydio Setúbal – Hospital Infantil Sabará (SP) conta como se aliou ao Medportal e como utiliza a plataforma como meio de educação a distancia e de treinamentos internos. Em quase 4 anos já foram mais 30,000 mil alunos, e mais de 12 mil horas de treinamento, um número muito expressivo para os padrões de instituições de saúde no Brasil.
“Nos Hospitais pediátricos temos um problema de sazonalidade, então para realizar os treinamentos, principalmente os presenciais, a gente tem que respeitar a disponibilidade da equipe em alguns meses do ano, que é bastante complicado. Então, a plataforma é um instrumento bastante interessante, até para suprir um pouquinho essa falta de tempo que as pessoas possuem no operacional” ponderou a Dra. Fátima Fernandes, Diretora Executiva do Instituto PEnSI.
Em meio a esse contexto é que se vê a necessidade de entender qual é o público que precisa ser treinado, qual a melhor ferramenta e qual melhor metodologia para educar e agregar valor ao público adulto.
Representando o iMed Group Brasil, especializado na prestação de serviços médicos, o Dr. Alexandre Ísola, Gerente do Departamento de Educação continuada compartilha a estratégia de treinamento de trilhas de conhecimento que o ImedGroup vem aplicando em sua equipe. O propósito é melhorar o desempenho e a motivação dos profissionais, impactando diretamente os resultados. “Tivemos, por exemplo, a melhoria do NPS (Net Promoter Score) direto na ponta, a partir dos treinamentos online dos nossos médicos” diz Ísola.
Para assistir a transmissão completa do evento CLIQUE AQUI.

Oncologia D'Or e Medportal Transmitem Ao Vivo Cirurgia Robótica

Em parceria inédita, Oncologia D’Or, Ponto Comunicação e Medportal  Soluções Educacionais transmitiram Cirurgia Robótica neste último sábado 02/07, ao vivo, do I Simpósio de Uro-oncologia e Cirurgia Robótica Oncologia D’Or.
A cirurgia robótica urológica – Prostatectomia Radical de Alto Risco e Linfadenectomia Retroperitonial – transmitida ao vivo do Hospital Quinta D’Or, no Rio de Janeiro, foi acompanhada com intensa discussão multidisciplinar do caso, envolvendo urologistas e oncologistas clínicos convidados.
O procedimento foi conduzido com sucesso pelo Dr. Inderbir S. Gill, Chairman da University of Southern California (EUA), urologista mundialmente reconhecido no campo da robótica e cirurgia laparoscópica, com mais de 1.500 cirurgias no currículo, além de expressiva produção acadêmica na área de uro-oncologia e cirurgia minimamente invasiva. Dr. Andre Berger, Professor de Urologia da University of Southern California, também esteve presente na cirurgia.
Mediando o debate, contamos com a presença do onco-urologista Dr. Rodrigo Frota, Coordenador do Programa de Cirurgia Robótica Urológica da Rede D’Or São Luiz e fellow em cirurgia robótica e laparoscopia urológica por Cleveland Clinic (EUA).


divulgacao-medportal

Treinar, Avaliar e Certificar Profissionais em Instituições de Saúde!

Clique aqui e conheça as Soluções do Medportal!


O evento foi divulgado pelo Medportal para mais de 120.000 pessoas da área e cerca de 600 profissionais acompanharam o procedimento, tanto de dentro do auditório do simpósio, como online, em diversos locais país. Já a transmissão do ato cirúrgico coube ao Ponto Comunicação.
O Medportal é parceiro para geração de conteúdo da Rede D’Or São Luiz e Instituto D’Or desde 2014. Leia mais aqui.
__________________________________
Que tal transmitir seu evento AO VIVO no Medportal, em ambiente controlado e alcançar centenas de milhares de médicos e estudantes de Medicina? Entre em contato pelo email: faleconosco@medportal.com.br
 
Sobre o Medportal Soluções Educacionais:
O Medportal é o primeiro e maior provedor de plataformas de ensino a distância direcionadas a instituições de saúde no Brasil, contando com milhares de alunos matriculados em todos os estados do país e em mais 9 países. Criado com o intuito de desenvolver o ensino de medicina e saúde no país, o Medportal oferece tecnologia completa de treinamento, avaliação e certificação de profissionais para Hospitais, Instituições de Ensino e demais empresas do setor de saúde. As principais atividades do Medportal estão divididas em: (1) soluções educacionais (tecnologia + conteúdo + consultoria) customizadas  e (2) conteúdo de atualização (cursos e treinamentos) para profissionais de saúde através de websites próprios.

E o Medportal após o Tanque dos Tubarões?

Oito meses após a conquista do prêmio de melhor solução tecnológica​ do Hospital Shark Tank​ no Hospital Innovation Summit (“HIS.events”) realizado em São Paulo​ – leia mais – o Medportal ainda vem colhendo os frutos da premiação. Com a bagagem de ser o maior provedor de plataformas de ensino a distância direcionadas a instituições de saúde no Brasil, com tecnologia de treinamento, avaliação e certificação de profissionais, a empresa vem apresentando resultados significativos no ano, com perspectivas de atender Hospitais​, Escolas​ e Institutos de Ensino ​e Pesquisa ​nas 5 regiões do país.
Para o Dr. Thiago Constancio, CEO da empresa, a visibilidade da empresa com a conquista do Shark Tank no HIS alavancou este crescimento e proporcionou novas oportunidades.

“Sem dúvida​ alguma​ o HIS colocou o Medportal em outro patamar​ em termos de visibilidade, principalmente em São Paulo​. Ganhar a premiação de melhor solução tecnológica ainda mais nos critérios de relevância, escalabilidade, inovação e retorno possibilitou a abert​ura de novas portas​. ​​De lá pra cá, já fechamos contratos com grandes Hospitais e Institutos de Pesquisa pelo país​. Temos que agradecer ao time do Saúde Business pela oportunidade, principalmente ao Fernando Cembranelli e ao Raphael Gordilho que nos convidaram a participar do evento​”, aponta o executivo.


divulgacao-medportal

Treinar, Avaliar e Certificar Profissionais em Instituições de Saúde!

Clique aqui e conheça o Medportal!


Apesar da solução ser nacionalmente testada e aprovada por profissionais da saúde há mais de 5 anos, Thiago afirma que a relação direta com Hospitais e​ outras​ Instituições de grande porte levaram as soluções para outro ​nível​: “Temos cursos de atualização online para profissionais de saúde desde 2011, com mais de 5 mil matriculados. No entanto, foi a partir do momento que resolvemos ofertar o pacote de treinamento, avaliação e certificação a Hospitais e demais instituições de saúde, que a nossa solução alcançou outro nível de escala​ e maturidade”.
Exemplos de clientes não faltam. Hospital Infantil Sabará​ (SP)​, ​Celso Lisboa (RJ), ​Santa Helena​ Saúde (ABC SP)​, Grupo Santa​ (DF)​, CBA​ (RJ)​, Fetus​(SP)​ e Imed​ Group​ (SP) são alguns ​exemplos ​dos que atualmente utilizam as soluções do Medportal​.​
Para a Dra. Fátima Rodrigues Fernandes, Diretora do Instituto PENSI (Sabará),

“a utilização das soluções do Medportal facilitou o aprendizado e deu comodidade aos alunos através de uma ferramenta interativa, com possibilidade de acesso a vídeo-aulas, troca de arquivos, fórum de discussão e avaliações”. E ela complementa: “através desta plataforma o Hospital Infantil Sabará incentivou a consolidação de conceitos e a troca de opiniões entre alunos e profissionais experientes, sejam eles do Sabará ou de outras instituições, de modo a compartilhar suas vivências e possibilitar a ampliação do conhecimento baseado em evidências”.

Acesse: http://www.medportal.com.br/solucoes-educacionais
 


Sobre o Medportal Soluções Educacionais:
O Medportal é o primeiro e maior provedor de plataformas de ensino a distância direcionadas a instituições de saúde no Brasil, contando com milhares de alunos matriculados em todos os estados do país e em mais 9 países. Criado com o intuito de desenvolver o ensino de medicina e saúde no país, o Medportal oferece tecnologia completa de treinamento, avaliação e certificação de profissionais para Hospitais, Instituições de Ensino e demais empresas do setor de saúde. As principais atividades do Medportal estão divididas em: (1) soluções educacionais (tecnologia + conteúdo + consultoria) customizadas  e (2) conteúdo de atualização (cursos e treinamentos) para profissionais de saúde através de websites próprios.

Celso Lisboa Fecha com Medportal para Enfermagem

Renomada instituição de ensino superior, com 44 anos de existência, o Centro Universitário Celso Lisboa é referência em educação em Saúde e Bem Estar no Rio de Janeiro. Localizada na zona norte carioca, a instituição de ensino superior que mais cresce no estado do Rio já formou mais de 20.000 alunos em seus cursos de Graduação, além de oferecer também opção de cursos de pós-graduação e extensão profissional.
Com 14 mil m² de infraestrutura de campus, a Celso Lisboa conta com mais de 80 salas de aula, 18 laboratórios para aulas práticas, ampla biblioteca, dentre outras facilidades que a classificam como um dos mais bem equipados do Estado do RJ.
Para apoiar as transformações inovadoras pelas quais vem passando na qualificação de seus professores e estudantes de enfermagem, a Celso Lisboa acaba de contratar a plataforma e o know-how  em treinamentos a distância do Medportal. A aposta da instituição é que a tecnologia e a experiência do Medportal Soluções Educacionais com organizações de saúde renomadas no país são fatores chave para o sucesso deste processo de mudanças e crescimento.

“A experiência do Medportal com o mercado de saúde foi o diferencial para que optássemos pela plataforma e consultoria, pois a ideia é tornar nossa metodologia de aprendizagem ainda mais atrativa do ponto de vista profissional, incentivando que nossos professores e alunos tenham acesso tanto ao conhecimento técnico quanto ao prático” afirma Rodolfo Bertolini, Diretor Executivo na Celso Lisboa.

Para Thiago Constancio, CEO do Medportal, “a assinatura do contrato com a Celso Lisboa consolida as soluções educacionais e tecnológicas do Medportal como alternativa especializada em instituições de saúde. Por conta da interação do Medportal com uma instituição singular e inovadora na formação de profissionais de saúde, a plataforma de EAD ganhará muito em relevância, destaque e usabilidade”. E completou: “a Celso Lisboa escolheu a ferramenta correta para capacitar seus alunos nas novas metodologias disruptivas que tem desenvolvido”.
__________________________________
Sobre o Medportal Soluções Educacionais:
O Medportal é o primeiro e maior provedor de plataformas de ensino a distância direcionadas ainstituições de saúde no Brasil, contando com milhares de alunos matriculados em todos os estados do país e em mais 9 países. Criado com o intuito de desenvolver o ensino de medicina e saúde no país, o Medportal oferece tecnologia completa de treinamento, avaliação e certificação de profissionais para Hospitais, Instituições de Ensino e demais empresas do setor de saúde. As principais atividades do Medportal estão divididas em: (1) soluções educacionais (tecnologia + conteúdo + consultoria) customizadas  e (2) conteúdo de atualização (cursos e treinamentos) para profissionais de saúde através de websites próprios.

Atualização profissional do corpo de saúde em um Hospital

Hospitais lidam diariamente com situações emergenciais, críticas, que se não conduzidas de maneira adequada geram agravos diretos aos pacientes, os expondo a risco de vida. Desta maneira, é notório que em locais onde todos os profissionais do corpo de saúde (médicos, enfermagem, fisioterapia, nutrição, etc) são devidamente habilitados e submetidos a treinamentos frequentes, mitiga-se a chance de eventos adversos. Hospitais têm a obrigação de sempre buscar a excelência, através da seleção e capacitação adequada de seus colaboradores.
Pesquisas na área já demonstraram que os pacientes muitas vezes julgam a qualidade da assistência de determinado serviço de saúde a partir da habilidade dos colaboradores menos experientes e competentes. Ou seja, ainda que um determinado hospital seja altamente criterioso na parte técnico-assistencial e hoteleira, arrisca-se a passar uma imagem negativa aos seus “clientes” quando falham na seleção e, sobretudo, no acompanhamento (avaliações) e treinamento de seus colaboradores. Por um lado, muito se investe em marketing, hotelaria, até mesmo em estrutura, quando um dos principais fatores de percepção de qualidade está inerentemente ligada aos profissionais e os serviços que os mesmos prestam.
Quem são os colaboradores do seu hospital? Estamos falando de médicos e enfermeiros pouco qualificados, ou ainda, que há muito não se atualizam? Você realmente está certo sobre a qualificação técnica atual de sua equipe ou a última vez que avaliou as competências dos profissionais de seu hospital foi no processo seletivo? O quanto está sendo realmente avaliada (e promovida) a atualização profissional de seus colaboradores? Note que estas respostas impactarão diretamente na assistência, mas também na percepção de qualidade pelos clientes da sua empresa.

Atualização profissional é fundamental, sobretudo na área da saúde onde a responsabilidade é enorme e há constante atualização do conhecimento. Não é mais aceitável que um profissional saia da faculdade e não mais se atualize, bons profissionais têm esta visão. Mas e aqueles que não compartilham desta preocupação, ou ainda aqueles que simplesmente não tem tempo ou pró-atividade suficiente para buscar se atualizar? Para garantir que isto não ocorra em uma instituição, o caminho conhecido é treinar e avaliar constantemente seu time, isto possibilita que um Hospital rapidamente se diferencie de seus concorrentes.

Para profissionais qualificados, cada vez mais os cursos de curta duração, cujo objetivo seja passar conceitos recentes e pontuais que profissionais já atuantes não tiveram a oportunidade de aprender anteriormente, encaixam-se perfeitamente. Cabe aos empregadores estruturarem e oferecerem estes cursos de acordo com sua realidade, viabilizando ao máximo o acesso a cursos de extensão e aprimoramento educacional para seu time.
Citando Paulo Freire:

“Mulheres e homens, somos os únicos seres que, social e historicamente, nos tornamos capazes de aprender. Por isso, somos os únicos em quem aprender é uma aventura criadora, algo, por isso mesmo, muito mais rico do que meramente repetir a lição dada. Aprender para nós é construir, reconstruir, constatar para mudar, o que não se faz sem abertura ao risco e à aventura do espírito”.

 
Cabe ainda a reflexão, estão os profissionais de saúde de seu hospital preparados para prestar o melhor atendimento possível? Nenhum profissional de saúde quer causar dano aos pacientes, claro, mas é certo que se os mesmos não mantiverem-se conectados às muitas mudanças na área da saúde e da base de evidências que suportam essas mudanças, podem acabar se tornando agentes de danos involuntários. A Agência de Investigação de Saúde e Qualidade americana já identificou diversas estratégias de segurança aos pacientes, incluindo higiene das mãos, medidas para redução de septicemia associada a acessos venosos centrais, intervenções para prevenção de pneumonia associada à ventilação mecânica, cuidados no uso de abreviaturas, etc. O quanto que os profissionais de sua instituição estão sendo expostos constantemente a conhecimentos como estes? É conhecido, com métricas seguras (avaliações) o grau de aprofundamento sobre temas como estes pela sua equipe?
Afinal, os pacientes que procuram um determinado serviço de saúde esperam encontrar não somente uma impecável estrutura e hotelaria, mas também uma equipe que o acolha com profundo conhecimento técnico e ofereça um atendimento de excelência. Que nossas instituições de saúde tenham como principal premissa o objetivo de despertar o interesse no desenvolvimento da carreira dos colaboradores pelos quais são responsáveis e, assim, sejam verdadeiros promotores de uma saúde de excelência em nosso país.
Artigo criado pelo Dr. Rodrigo Coelho, MD – Medportal Co-Founder and COO