Cooperativa médica busca Acreditação

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

– Com 41 anos de história, cerca de 1 milhão de clientes, mais de 5.460 médicos  cooperados em quase 50 especialidades, cerca de 3.400 colaboradores, 390 recursos credenciados e 92 hospitais credenciados, a Unimed-Rio está em busca da acreditação. Para se adequar aos padrões de qualidade previstos na RN 277/11 da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), a Unimed-Rio buscou a orientação do Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA).

Cláudia Garrido, Gerente da Qualidade da cooperativa médica, é quem dá mais informações sobre a caminhada rumo à acreditação.

CBA – O que levou à direção da Unimed-Rio a buscar a acreditação para operadora de planos de saúde (OPS)?

Cláudia Garrido – Apesar de a acreditação não ser obrigatória para as operadoras, apenas voluntária, acreditamos que é um processo cada vez mais reconhecido pelo mercado e fundamental para a profissionalização do segmento de saúde. A Unimed-Rio está bem estruturada e adequada a altos padrões de qualidade e uma certificação de acreditação atesta esta percepção. Um dado importante é a diferenciação que a acreditação pode trazer. Quando a Unimed-Rio for certificada, damos ao mercado uma mensagem clara de eficiência e excelência.

CBA – Por que a direção procurou o CBA ao invés de outras acreditadoras existentes no mercado?

C.G. – Como  líderes de mercado do Rio de Janeiro, buscamos sempre adotar as melhores práticas. Aplicamos nosso processo de escolha de fornecedor, via RFP (Request for Proposal), para as principais consultorias de educação em acreditação e o CBA foi a que melhor se adequou às nossas expectativas. Outro fato, é que a única operadora que tinha obtido a certificação, a Bradesco Saúde, utilizou o CBA como órgão acreditador, o que também pesou na escolha final.

CBA – Qual o balanço que a Unimed-Rio faz da avaliação diagnóstica feita pela equipe do CBA?

C.G. – A Unimed-Rio passou por uma avaliação diagnóstica em setembro e a experiência foi bastante enriquecedora, pois nos possibilitou identificar nossos gaps de aderência aos requisitos da acreditação para que possamos evoluir rumo à certificação.

CBA – Quais padrões e processos já implementados pela Unimed-Rio que vão ao encontro do que é preconizado pela metodologia de acreditação?

C.G. – Processos com qualidade mensurada e atestada por nossos clientes já eram uma busca constante da Unimed-Rio. Temos que evoluir nos processos de relacionamento com nossos fornecedores e prestadores de serviços. Identificamos que adotamos no dia a dia várias das práticas preconizadas pelo processo de acreditação. Agora, precisamos registrar esses processos em documentos e ampliar o conhecimento sobre eles em toda a organização.

CBA – Em muitas instituições, a acreditação enfrenta resistências por parte dos colaboradores inicialmente. Como a Unimed-Rio trabalha internamente com seus colaboradores à cultura de acreditação?

C.G. – O envolvimento da Alta Gestão é fundamental para que o projeto tenha legitimidade. Palestras de conscientização e disseminação de conceitos para as equipes, além de ações motivacionais em todas as áreas e ainda, uma comunicação interna bastante atuante junto aos públicos faz com que possíveis resistências sejam trabalhadas.

CBA – Como padronizar qualitativamente os serviços com prestadores tão diferenciados (colaboradores, prestadores de serviços e terceirizados)?

C.G. – Controlando a operação com indicadores de performance adequados para cada tipo de serviço (KPI´s) .

CBA – Em termo de comunicação, como a Unimed-Rio vem trabalhando a informação da melhoria da qualidade com o seu público, seu beneficiário?

C.G. – O site da Unimed-Rio é atualizado diariamente com informações relevantes para os nossos clientes, sempre disponibilizando as melhores soluções para produtos e serviços. Dispomos ainda de ferramentas como newsletters mensais, tanto para a base de clientes Pessoa Física como para os clientes Pessoa Jurídica, além de pontos presenciais de atendimento na cidade do Rio de Janeiro e um call center 24 horas em todos os dias da semana. As equipes de atendimento da Unimed-Rio recebem treinamento constante, tanto em aspectos técnicos como comportamentais.

CBA – O processo de preparação para acreditação, já sinalizou mudanças de processos para melhoria da qualidade?

C.G. – De forma direta, foram alterados alguns processos operacionais, documentações foram revisadas em toda a empresa, grupos de trabalho foram criados para discussão dos itens avaliativos, com a participação e patrocínio da Alta Gestão.

CBA – Em termos mercadológicos, quais benefícios que a acreditação poderá trazer para a operadora?

Entendemos que ser certificado é um diferencial no mercado, mas melhor que isso, transmite credibilidade para os clientes, cooperados e prestadores de  serviços. Também não podemos deixar de destacar a preocupação com a melhoria da prestação e qualidade de seus serviços continuadamente, além da eficiência e eficácia dos seus processos de gestão.

 

Fonte: Consórcio Brasileiro de Acreditação

Medportal
O melhor ambiente online para ensinar e aprender medicina.
Educação Médica a DistânciaCursos e Aulas Online de Medicina e Saúde.
Retorno profissional, financeiro e pessoal para os professores. Para os alunos, as melhores aulas na internet !

 

CBA/JCI ACREDITAÇÃO INTERNACIONAL EM INSTITUIÇÕES DE SAÚDE

Objetivos: Introduzir o conhecimento sobre a metodologia desenvolvida pela Joint Commission International (JCI), aplicada no Brasil pelo Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), com ênfase nos processos de educação e acreditação e com destaque para o manual e os padrões aplicáveis para instituições de saúde hospitalar.

Público Alvo: Gestores e Profissionais de Saúde com interesse nas áreas de gestão da qualidade e segurança em saúde e melhoria de processos assistenciais em geral.

 

CBA/JCI ACREDITAÇÃO EM OPERADORAS DE SAÚDE

Objetivos: Introduzir o conhecimento sobre as metodologias desenvolvidas pelo Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), com ênfase nos processos de educação e acreditação e com destaque para o manual e os itens avaliativos definidos pela RN 277/2011 da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Público Alvo: Gestores e Profissionais com interesse nas áreas de gestão da qualidade e segurança em saúde e melhoria de processos de Operadoras de Planos de Saúde.

Vinicius Câmara

Vinicius Câmara

Assine nossa Newsletter


    Fique tranquilo não enviamos SPAM.

    %d blogueiros gostam disto: