Saúde e transformação digital: quais as tendências para 2020?

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Transformação digital, educação à distância, gamification, inteligência artificial, internet das coisas, novo comportamento dos consumidores e novas necessidades para os profissionais. Essas são algumas das novidades que têm invadido diversos mercados e, no setor da saúde, não poderia ser diferente.

Em 2020 a transformação digital em saúde deve se intensificar com o boom das healthtechs, startups que combinam tecnologia com serviços em saúde. Da mesma forma como aconteceu recentemente no mercado financeiro, empresas inovadoras começam a remodelar agora a maneira como os pacientes se relacionam com médicos e hospitais. A digitalização de processos passará a ser uma necessidade para aqueles que oferecem serviços de saúde.

Em 2019 foram amplamente debatidos temas como confidencialidade dos dados dos pacientes, telemedicina, tele-educação. Para 2020 será preciso avançar o entendimento sobre assistência médica orientada por dados, viabilizando melhor tomada de decisões clínicas. Inovação não está relacionada apenas à tecnologia, mas também às dores e mudanças de comportamento da sociedade. Torna-se cada vez mais essencial que os profissionais de saúde compreendam a importância de estarem atualizados com as principais demandas e tendências da área, visando sempre a busca por inovação e excelência.

Listamos abaixo algumas tendências para este ano:

1. Telemedicina

Com a mudança de comportamento dos consumidores, novas demandas vêm sendo discutidas no setor. A tecnologia poderia permitir, por exemplo, que mais pacientes (escala) sejam atendidos em locais distantes (capilaridade), a custos menores (economia) e com muita qualidade? A telemedicina viabiliza que pacientes recebam informações sobre a sua saúde, diagnóstico e tratamento de forma mais rápida, sem precisarem ir até a instituição de saúde.

No Brasil esse tema encontra-se em plena discussão. A regulamentação sobre  a telemedicina foi atualizada e, logo em seguida, revogada pelo CFM no primeiro trimestre de 2019. Considerando o interesse sobre o tema, muitos acreditam que este assunto retornará para pauta em 2020.

2- Inteligência Artificial

Soluções de Inteligência Artificial (IA) em saúde já existem, ainda que timidamente, em alguns serviços no Brasil e no exterior. A partir deste ano a tendência é ampliar a presença desta tecnologia em outros serviços, tanto como auxílio no diagnóstico de doenças como na gestão, por exemplo, com a identificação de padrões no preenchimento de formulários e relatórios.

A Inteligência Artificial pode ter aplicações diversas na saúde: desenvolvimento de medicamentos, diagnóstico de doenças, medicina personalizada, monitoramento de pacientes, etc.

3- Realidade Virtual 

A Realidade Virtual (RV) pode melhorar a experiência humana fazendo uso da tecnologia e vem sendo utilizada na saúde em diversos contextos: educação, treinamentos e simulações, assistência à dor, reabilitação, tratamento de transtornos de estresse pós-traumático, etc.

4- Blockchain 

O blockchain tem diversas aplicações, já que descentraliza o fluxo dos dados, elimina intermediários excedentes e garante maior segurança às transações. Desta forma, é vista por especialistas como uma nova ferramenta útil em diversos processos empresariais, não somente em transações financeiras, mas também em negociações de propriedades digitais no setor industrial e de saúde.

Para a consultoria Deloitte, o papel dessa tecnologia na saúde é colocar o paciente no centro do ecossistema, aumentando a segurança, privacidade e interoperabilidade dos dados. Blockchain é um tópico importante, porque parece responder a um apelo mundial por maior transparência e confiança em relação aos dados de saúde. Esse mercado foi estimado em US$ 44,6 milhões em 2017 e pode crescer em 67,1% ao ano até 2023.

5- Processos 

O prontuário eletrônico já é realidade para muitos hospitais do Brasil e tudo indica que em 2020 sua importância será ainda maior. A solução, aos poucos, deixa de ser um simples repositório de informações para passar a integrar e correlacionar diferentes dados, tais como: dados financeiros, dados gerados pelos próprios pacientes, ferramentas de auxílio à decisão clínica. O objetivo é gerar informação e inteligência em saúde, de modo a garantir a segurança dos dados atrelada a serviços que agilizem e aumentem a qualidade do atendimento.

6 – Novas parcerias e novos players

O relatório 2019 Global Healthcare Outlook apresenta diversas fusões e aquisições como tendência mundial no setor saúde, com destaque aos investimentos realizados por empresas cujo objetivo é ampliar ou consolidar verticais no mercado. Especialistas acreditam que 2020 será um ano ainda mais propício a investimentos de grandes grupos que almejam maior consolidação e expressão no mercado, estimando grande fluxo de capital para investimentos no setor.

Referências

https://blogbrasil.comstor.com/como-o-blockchain-pode-transformar-o-setor-da-saude

https://www.ictandhealth.com/news/digital-health-2020-ai-ar-vr-telemedicine-enter-everyday-life/

https://saudebusiness.com/colunas/o-ano-de-2020-chegou-quais-sao-as-tendencias-em-tecnologia-para-saude/

Equipe Medportal

Equipe Medportal

Assine nossa Newsletter

Fiquei tranquilo não enviamos SPAM.

%d blogueiros gostam disto: